Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Criopreservação, sim ou não?

Criopreservação, sim ou não?

É uma dúvida que surge a muitos casais que se preparam para ser pais: vale a pena avançar com a criopreservação de células estaminais do bebé que vai nascer? A resposta poderá estar nos casos de sucesso já conhecidos.

Preservar as células estaminais de um bebé recém-nascido é uma opção que os pais podem tomar livremente, embora implique disponibilidade económica para suportar tal desejo. Mas, é também imprescindível que os pais estejam inteiramente informados sobre o desenvolvimento do processo de criopreservação e as suas potencialidades.

O que são células estaminais?

São células com capacidade para proliferarem e se diferenciarem em diferentes populações e que podem ser utilizadas no tratamento de várias doenças. Preservar estas células vai torná-las disponíveis para utilização posterior em caso de necessidade.

Como são preservadas estas células?

As células são preservadas a temperaturas muito baixas (-196ᵒC) durante um longo período de tempo (habitualmente 25 anos). “Uma vez criopreservadas, as células podem ser utilizadas em qualquer momento e em qualquer parte do mundo”, afirma Alexandra Machado, diretora clínica da Crioestaminal.

Potencialidades da criopreservação

“As células estaminais constituem um recurso terapêutico que atualmente já foi utilizado no tratamento de cerca de 80 doenças muito graves, estimando-se que no futuro este número venha a aumentar”, acrescenta a responsável, justificando esta escolha por parte dos pais que têm capacidade para financiar o processo.

A criopreservação pode ser benéfica para o tratamento de algumas doenças oncológicas, situações de hemoglobinopatia, imunodeficiência, doenças metabólicas e deficiências modulares.

Alexandra Machado lembra ainda que “as células estaminais do cordão umbilical não servem apenas para potencial tratamento do bebé de onde foram recolhidas. Podem também ser utilizadas em familiares compatíveis”.

Na verdade, estudos científicos demonstram que os transplantes entre pessoas da mesma família têm mais sucesso do que entre pessoas não relacionadas. “E a probabilidade de compatibilidade total entre irmãos é de 25%”, sublinha a diretora clínica da Crioestaminal.

Quais os resultados desta técnica em Portugal?

Em Portugal, há já registo de casos de sucesso de utilização alogénica (transplante com células estaminais de um dador familiar) no tratamento de imunodeficiências combinadas severas entre irmãos, com recuperação total do doente. Mas, há também finais felizes em casos de utilização autóloga (transplante com células estaminais do próprio) em crianças com paralisia cerebral.

A lista de histórias de sucesso estende-se a muitos outros países. Há vários casos de tecidos humanos criados a partir de células estaminais que ajudaram a salvar vidas.

Como fazer?

Idealmente o processo de adesão a soluções de criopreservação deve ocorrer até dois meses antes do parto. Os pais devem adquirir um kit de colheita de sangue e de tecido de cordão umbilical junto da empresa que escolheram para efetuar a criopreservação das células estaminais do seu bebé. Os questionários de avaliação clínica e o respetivo contrato de criopreservação devem, então, ser preenchidos e remetidos para a empresa, idealmente cerca de 1 mês antes da data prevista para o parto. Os pais ficarão ainda com o contacto da empresa, contacto este que deverão acionar imediatamente a seguir ao parto, já que a equipa médica que assiste ao parto ficará responsável pela colheita do sangue e do tecido do cordão umbilical no momento do nascimento. Nessa altura, a empresa de criopreservação enviará uma transportadora à maternidade para recolher o kit e os pais dão por finalizada a sua intervenção no processo.

Benefícios da criopreservação:

  • Maior hipótese de compatibilidade entre o dador e o doente.
  • Apresenta um risco menor de doença do enxerto contra hospedeiro (GVHD – Graft-vs-host disease), complicação que pode ocorrer quando um paciente recebe um transplante de células de um dador (transplante alogénico).
  • Permite a disponibilização imediata de células para transplantação.
  • É um método fácil e indolor de recolha de células estaminais, dado que o sangue é recolhido do cordão umbilical após o parto.

O papel de pais implica várias preocupações e a saúde dos filhos é uma das principais e que se vai manter ao longo de toda a vida. A criopreservação permite a recolha de células estaminais durante o parto, que poderão ser utilizadas anos mais tarde, se a criança tiver algum problema de saúde grave. Informe-se sobre este método e tome a sua decisão.

Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.