Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Fertilização in vitro (FIV)

Fertilização in vitro (FIV)

A fertilização in vitro é a resposta terapêutica prioritária em situações de obstrução ou mesmo ausência de trompas, situações estas que inviabilizam a fecundação pois é nas trompas que acontece o encontro entre os ovócitos e os espermatozoides. No entanto, poderá também ser utilizada noutras situações de infertilidade conjugal.

Perante este quadro é proposto ao casal que a fertilização ocorra in vitro, isto é, fora do organismo feminino. Trata-se de fazer um bypass ao processo biológico, colhendo quer os ovócitos, quer os espermatozóides, propiciando a fecundação em ambiente laboratorial, sempre com a preocupação de imitar as condições in vivo garantindo desta forma o maior sucesso possível. Uma vez conseguida a fertilização, dá-se o desenvolvimento embrionário e o processo culmina com a transferência dos embriões obtidos para o útero. Se houver implantação, o processo foi bem-sucedido e o casal obtém, finalmente, a gravidez desejada.

Fases do tratamento de fertilização in vitro

Punção ovárica + FIV

Consiste na colheita dos ovócitos, efetuada cerca de 36 horas após a administração da hCG, ou de outra hormona utilizada para o mesmo efeito. A punção transvaginal é feita sob controlo ecográfico e com recurso a anestesia de modo a não existir qualquer desconforto para a mulher. Por sua vez, e após 2 a 3 dias de abstinência sexual, o homem procede à colheita do sémen, que é de imediato preparado em laboratório com vista à fertilização in vitro.
A fertilização acontece logo após a colheita dos ovócitos e dos espermatozoides. O líquido folicular colhido através da punção é analisado para identificação dos ovócitos, que são colocados em ambiente de cultura. Posteriormente, é incubado o sémen no qual foi previamente detetada uma concentração adequada de espermatozoides móveis.

Transferência de embriões

A transferência dos embriões realiza-se 2 a 3 dias após a mulher ter efetuado a punção transvaginal, podendo também acontecer 5 a 6 dias depois. O número de embriões a transferir depende da qualidade dos mesmos, da idade da mulher ou por decisão do casal. Em regra, transfere-se 1 a 2 embriões por se considerar que este número corresponde a uma melhor taxa de sucesso, com menor risco de uma gravidez múltipla. Os embriões a transferir são colocados num fino cateter que é introduzido no útero. Este procedimento não requer anestesia.

Criopreservação de embriões

O processo de fertilização in vitro, por decorrer em ambiente laboratorial controlado, permite acompanhar o desenvolvimento embrionário de forma a identificar os embriões que são passíveis de transferência. Em cerca de 50% dos casos obtêm-se mais embriões do que aqueles que são transferidos num primeiro ciclo de tratamento, situação em que se disponibiliza a criopreservação.
Na prática, significa que esses embriões são criopreservados, podendo ser utilizados num futuro ciclo para tentar uma segunda gravidez ou após um caso de insucesso. A grande vantagem é que deixa de haver necessidade de recorrer a um novo processo de estimulação ovárica e à realização de uma nova punção.
 

FAQS

Como funciona a punção ovárica?

A punção ovárica (colheita de ovócitos) é efetuada com controlo ecográfico e sob o efeito de uma sedo-analgesia para minorar o desconforto. Este é um procedimento com a duração de apenas 15 a 20 minutos, sendo a paciente normalmente aconselhada a permanecer na clínica 2 a 3 horas após a punção ovárica.

 

A fertilização in vitro é realizada em regime ambulatório ou de internamento?

A fertilização in vitro é realizada em regime ambulatório.

 

Existe algum cuidado a ter após o tratamento?

Depois de se proceder à punção ovárica recomenda-se que a paciente seja acompanhada até casa devido à sedo-analgesia administrada.

 

Qual a duração média do tratamento?

Punção + Técnica de Fertilização in vitro (FIV) + Transferência de embriões: Até 1 semana.

 

Em que momento é feita a criopreservação dos embriões?

Num período de 2 a 6 dias após o processo de FIV, quando se obtêm 1 ou mais embriões. 

 

Quando é aconselhada a criopreservação de embriões?

A criopreservação é fundamental no caso de existirem embriões excedentários ou não haver indicação para transferência a fresco. A utilização de embriões criopreservados permite não submeter a mulher a uma nova estimulação ovárica e respetiva punção.

 

Qual o local onde irei realizar o tratamento?

O tratamento terá lugar no Centro Médico de Assistência à Reprodução Cemeare – Prestador convencionado AdvanceCare. Informe-se junto da Cemeare sobre os médicos que o irão acompanhar ao longo de todo o processo. 

 

Qual o preço do tratamento?

O preço que irá pagar pela fertilização in vitro terá o valor total de 2820 euros.
Inclui: Punção ovárica + FIV + Transferência de embriões + Criopreservação de embriões 

 

Terei de suportar algum custo adicional ao tratamento?

Além do tratamento em si, estão também incluídos a punção ovárica, a transferência de embriões e a sua respetiva criopreservação. Medicação, ecografias, análises ao sangue, ou a eventual necessidade de apoio psicológico constituem um custo adicional e casual a contratualizar com a clínica.

 

Onde deverá ser efetuada a compra? Através da AdvanceCare ou diretamente na Clínica?

A compra deverá ser efetuada na loja online da AdvanceCare. Só deste modo poderá usufruir dos valores convencionados com o Centro Médico de Assistência à Reprodução Cemeare. Uma vez efetuada a compra, irá receber o seu voucher, devendo apresentar o mesmo na clínica no dia da consulta. Através dos números 707 100 005 ou 21 019 28 16, poderá ter acesso a um consultor AdvanceCare que o irá apoiar e esclarecer durante todo este processo.