Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Artrose

Artrose

A artrose é uma doença degenerativa das articulações, que suportam o peso corporal provocada pela destruição progressiva dos seus tecidos, em especial nas cartilagens e nos ossos. Na ausência de parte ou totalidade da cartilagem, os ossos da articulação envolvida movimentam-se sobre si mesmos com atrito, originando desgaste, crepitação, inflamação, dor e limitação de movimentos. As articulações nas quais mais frequentemente ocorre artrose ou osteoartrose são os joelhos, coluna vertebral, ancas, mãos e pés.

Causas da Artrose

  • Envelhecimento. A partir dos 50 anos, as articulações começam a degenerar-se e perdem a elasticidade e agilidade.
  • Obesidade. O excesso de peso aumenta a pressão sobre a articulação, podendo levar à rutura da cartilagem, em especial nos joelhos e ancas.
  • Doenças metabólicas ou endócrinas.
  • História fFamiliar. Em famílias que possuem uma anomalia num dos genes dea produção do colagénio, aumenta a probabilidade de artrose.
  • Profissões que envolvem gestos repetitivos e esforço excessivo provocam o desgaste das articulações.
  • O impacto sofrido por pancadas, quedas ou fraturas pode alterar a cartilagem.

Embora seja uma doença reumática que afeta ambos os sexos, há uma maior prevalência nas mulheres. 

Sintomas da Artrose

As alterações degenerativas das articulações surgem primeiro nas mãos, coluna, joelhos, pés (dedo grande) e ancas:

  • Dor articular que vai aumentando à medida que as lesões ósseas evoluem. Enquanto o repouso atenua a dor, o esforço aumenta-a.
  • Rigidez das articulações.
  • Estalidos, quando se movimentam as articulações.
  • Nódulos nas articulações dos dedos das mãos.
artrose

Raio X de artrose do joelho, em que se vê a articulação inchada e com esteófitos. A artrose é uma doença degenerativa das articulações que danifica a cartilagem e o osso.

Tratamento da Artrose

A mudança de alguns comportamentos pode aliviar e diminuir os sintomas, como a correção de más posturas, a perda de peso, o exercício físico moderado, evitar a sobrecarga sobre as articulações e o repouso. Há possibilidade de detetar a doença em fase precoce através de ressonância magnética e por vezes utilizando a artroscopia (método invasivo).

  • Terapêutica farmacológica com analgésicos e anti-inflamatórios.
  • Fisioterapia – para manter a força muscular e aliviar a rigidez articular.
  • Eletroterapia (ondas curtas) – aplica-se energia através de vários tipos de ondas para aumentar a temperatura dos tecidos.
  • Termoterapia (calor local) – permite relaxar a articulação.
  • Aparelhos ortopédicos (cintas ou joelheiras) – proporcionam o repouso das articulações afetadas.
  • Injeções intra-articulares com corticóides – apesar de não exercerem um efeito curativo, são um tratamento paliativo, nas fases em que predomina a existência de alguma inflamação dentro da articulação.
  • Cirurgia ortopédica – aplica-se nos casos mais graves e pode consistir na utilização de artroscospia, osteotomia ou artroplastia (substituição da articulação por prótese). 
Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha
Serviço de gastroenterologia do Hospital Garcia da Orta.
 
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.