Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Choque Séptico

Choque Séptico

Choque Séptico

Vaso sanguíneo durante o choque séptico.

Problema de saúde que corresponde ao nível mais grave de septicémia – inflamação sistémica do organismo e potencialmente fatal – e que se caracteriza pela descida da tensão arterial de tal forma acentuada que põe a vida em risco. Estima-se que a infeção no sangue (septicémia) leve à formação de coágulos que, por sua vez, podem impedir o fornecimento de nutrientes e oxigénio aos órgãos, interrompendo o seu funcionamento. A quebra de tensão drástica pode originar a falência respiratória ou cardíaca. É um problema grave que representa uma das principais causas de morte em meio hospitalar, sobretudo em unidades de cuidados intensivos.

Causas de Choque Séptico

A septicémia, patologia na origem do choque séptico, é provocada por infeções (virais, bacterianas ou fúngicas) que podem ocorrer no aparelho urinário, reprodutor, digestivo ou respiratório. Estima-se que 25 % dos casos de septicémia se deva a patologias do foro respiratório como a pneumonia.

Existem fatores que aumentam o risco de sofrer de choque séptico:

  • Recém-nascidos, grávidas e pessoas com idade superior a 50 anos são os mais afetados.
  • Fragilidade imunitária – pessoas com o sistema imunitário debilitado devido a patologias (VIH) ou tratamentos oncológicos.
  • Exposição a bactérias – hospitalização prolongada, cirurgia extensa e recurso a procedimentos e dispositivos invasivos (cateteres, etc) que aumentam o risco de contaminação.
  • Consumo de drogas por via injetável.
  • Doenças crónicas como diabetes ou cirrose.

Sintomas de Choque Séptico

  • Estado de alerta reduzido.
  • Confusão mental.
  • Dificuldade em respirar.
  • Subida da temperatura, pele quente e avermelhada.
  • Batimentos cardíacos alterados – palpitações, pulso acelerado.
  • Arrepios de frio, descida da temperatura corporal.
  • Fraqueza extrema.
  • Diminuição do volume de urina.

Tratamento de Choque Séptico

O choque séptico é diagnosticado com base nos sintomas, em análises ao sangue para avaliar os níveis de glóbulos brancos e plaquetas e em hemoculturas para identificar as bactérias envolvidas. O eletrocardiograma permite detetar possíveis irregularidades no ritmo cardíaco e os exames de imagem revelam que órgãos estão afetados.

O tratamento do choque séptico implica internamento hospitalar na unidade de cuidados intensivos e o recurso, em primeira linha, a antibióticos via intravenosa para combater a infeção, incluindo outras terapêuticas em função dos órgãos afetados:

  • Insulina (para estabilizar os níveis de glicemia).
  • Fármacos vasoconstritores (para ajudar a aumentar a tensão arterial).
  • Corticosteroides (para travar a inflamação).
  • Cirurgia – para remover a causa a infeção, tecidos lesados ou drenar fluido acumulado.
Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha. 
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.