Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Tuberculose

Tuberculose

O que é a tuberculose

A tuberculose é uma doença infeciosa provocada pelo Mycobacterium tuberculosis. Estima-se que a bactéria causadora tenha evoluído há cerca de 15 mil anos, a partir de outras bactérias do tipo Mycobacterium. O microrganismo causador da doença é o bacilo de Koch, cientificamente denominado Mycobacterium tuberculosis.

Afeta principalmente os pulmões, embora possa atingir outras zonas do corpo, como os rins, gânglios, intestinos ou ossos. É altamente contagiosa e pode ter consequências graves, se não for diagnosticada e tratada de forma adequada.
É uma doença preocupante ainda hoje devido a factores como:

  • Incidência – aumentou substancialmente nos anos 80, com o aparecimento do VIH/SIDA.
  • Resistência – algumas estirpes de Mycobacterium tuberculosis resistem aos antibióticos, o que dificulta e pode até impossibilitar o tratamento.

A tuberculose é considerada uma doença socialmente determinada, já que a sua ocorrência está diretamente associada à forma como se organizam os processos de produção e de reprodução social, assim como à implementação de políticas de controlo da própria doença.

Causas

A transmissão do bacilo de Koch é feita através da respiração, ou seja, basta que a pessoa infetada tussa, espirre, ria ou fale para que possa contaminar quem a rodeia. A transmissão da tuberculose é direta, de pessoa para pessoa, portanto, situações de aglomeração de pessoas são propícias à transmissão da doença.

Além disso, o micróbio permanece ativo, em suspensão no ar, durante várias horas, aumentando o risco de contágio, sobretudo em locais fechados ou mal ventilados. O risco de contágio verifica-se somente na variante pulmonar da doença.

A bactéria pode também encontrar-se inativa no corpo, podendo ser reativada com o avançar da idade ou perante uma fragilidade do sistema imunitário. É a denominada tuberculose latente.

Má alimentação, falta de higiene, tabagismo, alcoolismo ou qualquer outro fator que debilite o sistema imunitário, também favorece o estabelecimento da doença.

São considerados 4 grupos de risco:

  1. Crianças.
  2. Idosos, principalmente devido às defesas fragilizadas.
  3. Pessoas com sistema imunitário debilitado devido a outras patologias (diabetes, VIH/SIDA) ou medicamentos (por exemplo para a doença de Crohn, artrite reumatoide, entre outras).
  4. Trabalhadores de instituições de saúde ou lares, locais onde o contacto com pessoas infetadas é maior.

Sintomas

Os principais sintomas da tuberculose são:

  • Tosse persistente, com uma duração superior a três semanas. Perante este sintoma deve procurar um médico.
  • Expetoração com presença de sangue.
  • Dor no peito ou dor quando tosse ou respira.
  • Perda de peso inexplicada.
  • Suores noturnos.
  • Febre.
  • Arrepios.
  • Perda de apetite.
  • Apatia.

Uma vez que a tuberculose pode afetar outros órgãos, a manifestação de alguns sintomas pode variar em função da zona afetada.

Nos casos de tuberculose latente não se manifestam sintomas.

tuberculose

Tuberculose pulmonar, com localização pulmonar de lesões tuberculosas que se podem manifestar de forma aguda.

Diagnóstico

O diagnóstico da tuberculose pode se feito por radiografia, análises clínicas e broncofibroscopia (endoscopia pulmonar).

Tratamento

Para tratar a tuberculose são usados antibióticos que apresentam, em regra, bons resultados. É frequente recorrer-se ao uso combinado de fármacos com modos de atuação distintos, para que possam ter uma ação complementar e mais abrangente na erracidação da bactéria.

O internamento é apenas recomendado caso surjam complicações ou quando a doença é contraída noutro órgão, como é o caso da meningite tuberculosa.

Artigo revisto e validado pelo especialista em Medicina Geral e Familiar José Ramos Osório.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.