Queda de cabelo: as principais causas

Queda de cabelo: as principais causas

A queda de cabelo é normal e acentua-se em determinadas alturas do ano mas, quando em excesso, pode ser sinal que algo poderá não estar bem e que deverá procurar ajuda. Neste artigo, saiba quais as principais causas da queda de cabelo.


queda-de-cabelo-as-principais-causas


50 fios de cabelo, segundo as estimativas, é a quantidade mínima de cabelo que cada pessoa perde, em média, num só dia. O cenário complica-se quando esse número aumenta, ultrapassando os 100 cabelos por dia e a queda de cabelo se prolonga no tempo.


A origem da queda de cabelo

Existem várias situações que podem levar ao enfraquecimento capilar e subsequente queda. Por um lado existem os fatores relacionados com o estilo de vida como o stress, problemas emocionais, dietas rigorosas e falhas nutricionais (em ferro, zinco, vitaminas do complexo B ou proteínas, por exemplo) ou hábitos que fragilizam a haste capilar (como os gestos repetitivos, penteados e acessórios ou técnicas estéticas agressivas pelo calor ou uso de químicos). Por outro lado, as alterações físicas, por exemplo a nível hormonal ou motivadas por infeções, doenças autoimunes, anemia ou problemas da tiroide, fármacos e tratamentos, sem esquecer a herança genética podem contribuir para a queda de cabelo.


Será normal?

A queda de cabelo pode ocorrer durante semanas e verificar-se tanto pela perda de fios na lavagem, ao pentear ou na almofada, como pela perda de densidade capilar e espaçamento entre os cabelos.

No sexo feminino, a queda de cabelo pode manifestar-se em fases como a gravidez, o pós-parto e amamentação, bem como na menopausa, devido às alterações hormonais que ocorrem. Nos homens é frequente que a queda de cabelo surja na meia-idade, sobretudo se existirem antecedentes familiares de calvície.


Os principais tipos de queda de cabelo

  • Eflúvio telogénico (alopecia difusa): Problema temporário motivado por acontecimentos externos (stress, alimentação, entre outros) e que se traduz numa queda difusa.
  • Alopecia androgenética (também designada por calvície): Atinge principalmente o sexo masculino e caracteriza-se pela perda de cabelo localizada, como na zona frontal. Nas mulheres é mais difusa e atinge o topo da cabeça.
  • Alopecia areata: Encontra-se, muitas vezes, associada a uma reação autoimune que leva ao aparecimento de “clareiras” (peladas).
  • Alopecia traumática (agressão capilar): Queda devido a infeção fúngica – a tinha do couro cabeludo – por um parasita, mais comum na infância.

Soluções e tratamento para a queda de cabelo

A primeira consulta de avaliação capilar é essencial para o diagnóstico, o médico considera os ciclos capilares, a avaliação clínica e pode requerer a realização de análises ou outros exames (por exemplo, ecografia no caso da mulher) para detetar eventuais desequilíbrios hormonais ou patologias associadas. Uma vez conhecida a causa é possível definir a abordagem a seguir, que pode incluir medidas como a interrupção dos fármacos, ajuste dos hábitos de vida, controlo dos aspetos nutricionais e hormonais, mediante a toma de suplementos nutricionais e medicamentos, respetivamente. Deste modo, a queda de cabelo cessará após alguns meses. Nos casos de influência genética existem tratamentos farmacológicos específicos. O uso de produtos que se aplicam no couro cabeludo pode ser uma medida complementar aconselhada pelo médico. Na lista de tratamentos disponíveis figuram ainda:

  • Mesoterapia capilar (Bioestimulação folicular por infiltração mesodérmica): Esta técnica é indicada para tratar alopecia androgenética, alopecia areata, eflúvio telogénico (queda de cabelo).
  • Laser capilar: Técnica adequada para a alopecia androgenética, alopecia areata, eflúvio telogénico.
  • Tratamento transdérmico capilar: É utilizado para a seborreia, descamação, dermatite seborreica, alopecia androgenética, alopecia areata, eflúvio.
  • Transplante Capilar FUE (convencional): Adequado para a alopecia androgenética, alopecia por tração, alopecia cicatricial, entre outras. Esta é uma das técnicas mais recentes ao nível do restauro capilar e que permite corrigir, de forma natural e definitiva, zonas calvas ou com menor densidade capilar. Os folículos são retirados do couro cabeludo do paciente e depois aplicados, manualmente, através de uma pequena incisão. Os resultados são visíveis desde o primeiro dia e podem ser observados na totalidade decorridos 12 a 18 meses.

A queda de cabelo é um problema comum que atinge tanto homens como mulheres, em várias fases da vida, e se manifesta de formas distintas. Hoje em dia existem vários tratamentos que permitem reverter ou travar a sua evolução, pelo que a avaliação médica após os primeiros sintomas é essencial.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados