Seguro de saúde, Plano de Saúde, Cartão de Saúde, Cartão de Medicina Dentária, Cartão Dentário, Plano Saúde Oral

AdvanceCare | Obesidade

Obesidade

O que é a obesidade

A obesidade é uma doença em que o excesso de gordura corporal acumulada pode atingir graus capazes de afetar a saúde. É uma doença crónica, com enorme prevalência nos países desenvolvidos, atingindo homens e mulheres de todas as etnias e de todas as idades. O aumento da produção de bens – entre os quais, em grande escala, de bens alimentares – e a maior capacidade económica das pessoas registada a partir das últimas décadas do último século, levaram à alteração dos padrões alimentares e do estilo de vida das populações. Associada a uma vida sedentária, a dieta hipercalórica do homem urbano conduziu, no mundo ocidental, ao aparecimento de uma nova patologia que é, ela própria, a origem de muitas outras.

A obesidade reduz a qualidade de vida e tem elevadas taxas de morbilidade e mortalidade associadas. Uma pessoa é considerada obesa quando o seu índice de massa corporal (IMC) é superior a 30. Este valor é obtido dividindo o peso da pessoa pelo quadrado da sua altura.

Causas

O excesso de gordura resulta de sucessivos balanços energéticos positivos, em que a quantidade de energia ingerida é superior à quantidade de energia dispendida. Os fatores que determinam este desequilíbrio são complexos e podem ter origem genética, metabólica, ambiental e comportamental. Uma dieta hiperenergética (com excesso de gorduras, hidratos de carbono e de álcool), aliada a uma vida sedentária, leva à acumulação de excesso de massa gorda. Dados científicos apontam, contudo, para que haja uma predisposição genética que determina, em certos indivíduos, uma maior acumulação de gordura na zona abdominal.

Maus hábito alimentares, grande consumo de gordura, açucares, hidratos de carbono e álcool, vida sedentária (com muitas horas de exposição às televisões, computadores e consolas), exercício físico reduzido, zona de residência urbana (quanto mais urbanizada é a zona de residência maior é a prevalência de obesidade), baixo grau de instrução, fatores genéticos (que são sobretudo potenciados por circunstâncias ambientais favorecedoras), gravidez e menopausa são factores que se encontram associados à obesidade.

A obesidade compromete o organismo de uma forma global:

Aparelho cardiovascular: hipertensão arterial, arteriosclerose e perturbações cardíacas.

Complicações metabólicas – hiperlipidémia (aumento da concentração de gordura no sangue), alterações de tolerância à glicose, diabetes tipo 2, gota (doença reumatológica, inflamatória e metabólica, provocada pelo excesso de ácido úrico no sangue).

Sistema pulmonar – dispneia (dificuldade em respirar) e fadiga, síndrome de insuficiência respiratória do obeso, apneia de sono (ressonar) e embolismo pulmonar.

Aparelho gastrointestinal – esteatose hepática (acumulação de gordura no fígado), litíase vesicular (formação de areias ou pequenos cálculos na vesícula) e carcinoma do cólon.

Aparelho genito-urinário e reprodutor – infertilidade e amenorreia (ausência anormal da menstruação), incontinência urinária de esforço, hiperplasia e carcinoma do endométrio, carcinoma da mama, carcinoma da próstata, hipogonadismo hipotalâmico (diminuição da função dos ovários e testículos) e hirsutismo (crescimento excessivo de pelos).

Outras alterações – osteoartroses, insuficiência venosa crónica, risco anestésico (o paciente obeso tem um risco acrescido quando é anestesiado), hérnias e propensão a quedas.

A obesidade pode ser de dois tipos:

Tipo andróide – É predominante no homem e caracteriza-se pela acumulação do tecido adiposo na parte superior do corpo, sobretudo no abdómen. A acumulação de gordura intra-abdominal está associada a complicações metabólicas, como a diabetes tipo 2 e a dislipidémia, doenças cardiovasculares – como a hipertensão arterial, a doença coronária e a doença vascular cerebral. Encontra-se igualmente relacionada à síndrome do ovário poliquístico e à disfunção endotelial (ou seja deterioração do revestimento interior dos vasos sanguíneos).

Tipo ginóide – Quando a gordura se distribui, principalmente, na metade inferior do corpo, particularmente na região glútea e coxas. É típica da mulher obesa.

O tratamento médico para a obesidade passa pela combinação de dieta pobre em calorias, modificação de hábitos alimentares, e aumento da atividade física. Nos casos em que as mudanças alimentares e de estilo de vida não permitam, por si só, a obtenção dos objetivos pretendidos, pode ser necessário recorrer a fármacos que reduzam o apetite e ajudem na perda de peso.

obesidade

Radiografia de uma perna e pé de uma pessoa obesa. (visualização de perfil) 

Nos casos de obesidade grave ou mórbida, com Índice de Massa Corporal superior ou igual a 40 kg/m2 ou superior a 35 kg/m2 com morbilidade associada, com pelo menos cinco anos de evolução e múltiplos tratamentos ineficazes, a cirugia bariátrica pode ser recomendada. 

Tratamento

Banda Gástrica, Bypass Gástrico, Diversão duodenal e Balão gástrico

Banda Gástrica– É uma técnica restritiva pura, e ajuda a perder peso porque induz muito rapidamente uma sensação de plenitude gástrica, ficando o doente saciado com uma pequena quantidade de alimentos ingeridos.
Bypass gástrico – Permite a sensação de plenitude gástrica muito precoce, mas junta alguma má absorção dos alimentos, em particular dos doces e gorduras.
Cirurgia de Diversão Duodenal – A cirurgia de diversão duodenal é essencialmente uma cirurgia mal-absortiva, embora tenha um componente restritivo, ou seja, consegue-se ingerir mais alimentos mas a mal-absorção é maior, provocando por isso mais diarreias.
Balão Gástrico – O balão vai ocupar o lugar que seria ocupado pelos alimentos (fundo gástrico), provocando assim uma sensação de plenitude gástrica precoce, limitando a necessidade de grandes quantidades de comida.

Artigo revisto e validado pela especialista em Medicina Geral e Familiar Isabel Braizinha.
Conteúdo revisto pelo Conselho Científico da AdvanceCare.
A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde, nem a consulta de um médico e/ou especialista.