Shiatsu: Saúde na ponta dos dedos

Shiatsu: Saúde na ponta dos dedos

Relaxamento
Última atualização: 10/08/2022
  • O shiatsu é uma massagem terapêutica de origem japonesa que assenta no princípio da existência de canais energéticos ao longo do corpo.
  • Esta técnica tem como objetivo pressionar com os dedos determinados pontos no corpo, nos quais o fluxo energético poderá estar afetado.
  • O shiatsu olha para o indivíduo de forma holística, trazendo benefícios ao corpo e à mente, ajudando com problemas musculares, articulares, digestivos, respiratórios e do foro psicológico.

A massagem japonesa de shiatsu pode ser a solução para restabelecer a harmonia entre o corpo e a mente no seu organismo. Através da pressão exercida pelas mãos e pela ponta dos dedos esta terapia ajuda a equilibrar o fluxo energético do corpo e eliminar o stress, ansiedade, a tensão muscular, bronquite e a dor crónica. Descubra tudo o que esta técnica pode fazer por si.

O shiatsu surgiu no Japão na década de 20 do século XX através de Tokujiro Namikoshi inspirado em duas modalidades de massagem japonesas e chinesas ancestrais. Esta terapia japonesa assenta num dos princípios fundamentais da medicina chinesa e japonesa – o ki – a energia vital existente no nosso corpo, tal como acupuntura. O ki flui em lugares específicos chamados de meridianos. No shiatsu a pessoa que faz a massagem verifica o ki através de pontos específicos nos meridianos, designados por pontos vitais. De acordo com este princípio há saúde quando o fluxo do ki, que existe em abundância, não está obstruído. Por outro lado, sintomas de doença começam a emergir quando o fluxo energético está obstruído ou o ki está desequilibrado ou em falta. O shiatsu consiste na massagem de determinados pontos no corpo através da pressão exercida pelas mãos e dedos (a própria palavra “shiatsu” pode ser traduzida literalmente por “pressão com os dedos”). Quando os fluxos energéticos estão afetados, a pessoa que faz a massagem pode detetar este desequilíbrio mesmo antes dos sintomas se manifestarem fisicamente, ou quando estes começam a aparecer no organismo, tais como dores musculares ligeiras, dores de cabeça ou problemas digestivos. Esta terapia tem como objetivo restabelecer a harmonia no organismo e evitar o reaparecimento do estado de doença, através de várias sessões feitas regularmente e por vezes recomendações de mudanças no estilo de vida da pessoa.

Principais características

Através da massagem, de movimentos de alongamento e pressão em determinadas zonas do corpo, esta terapia visa restabelecer os fluxos de energia do corpo, garantindo o seu bom funcionamento. A pressão sobre os pontos específicos – existem cerca de 150 – pode ser efetuada com as mãos, os dedos, os polegares, os cotovelos, os joelhos ou os pés, utilizando assim o peso do terapeuta. O diagnóstico inicial é feito através do toque, e não da observação da língua ou da medição do pulso como noutras abordagens orientais, como por exemplo na osteopatia. O impacto da terapia no organismo e estado geral pode ser revigorante ou relaxante, dependendo do objetivo definido no início da sessão.

Benefícios do Shiatsu

É uma das principais terapias manuais praticadas no Japão, e tem sido alvo de um interesse crescente na Europa e nos Estados Unidos devido aos seus efeitos aparentemente curativos e preventivos de várias doenças. Os terapeutas que a praticam defendem que traz benefícios a 3 níveis: físico, mental e emocional, visto que o shiatsu olha para o ser humano de forma holística. Estima-se que tem uma ação positiva na redução da rigidez muscular, no sistema nervoso e que estimula a circulação, a pele e o equilíbrio hormonal. O shiatsu pode também ser usado em patologias crónicas, enxaqueca, problemas musculares e articulares (na zona lombar, joelho e pescoço), como artrite, bem como do foro digestivo e respiratório, como bronquite ou sinusite. Além disso, ajuda a regular o sistema nervoso autónomo, reduz o stress e a ansiedade e contribui para o bem estar geral da pessoa. Dado tratar-se de uma abordagem holística e não invasiva, o seu impacto na vida da pessoa pode ultrapassar a terapia, ao influenciar as suas escolhas e promover um estilo de vida saudável.

O que diz a ciência

Integrado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) no grupo da Medicina Complementar e Alternativa, o shiatsu situa-se ao mesmo nível da acupuntura ou osteopatia. Os seus efeitos, sobretudo no alívio da tensão muscular, contribuem para que seja considerada uma terapia não invasiva que promove o bem-estar geral e ajuda a combater o stress e a dor. É, por isso, indicada como tratamento complementar em doenças reumatológicas – fibromialgia, artrose ou artrite reumatoide – e oncológicas. No caso do cancro, os pacientes recorrem ao shiatsu para alívio de sintomas associados à doença e ao tratamento: stress, ansiedade, náuseas, falta de apetite, dificuldade em dormir, dor e mal-estar. Como o shiatsu é uma terapia primária no Japão, há vários estudos científicos que têm sido feitos ao longo dos anos, porém por causa da barreira linguística muitos não estão disponíveis para quem não entenda japonês. No mundo ocidental, a evidência científica é bastante limitada, sendo que os poucos estudos existentes se baseiam na experiência pessoal tanto dos massagistas de shiatsu como na das pessoas que beneficiaram desta técnica japonesa. No entanto, apesar da pouca evidência, os efeitos adversos que poderão advir da massagem de shiatsu são bastante reduzidos. Porém é importante reforçar que antes de recorrer a esta terapia é recomendável que se informe com o seu médico sobre todos os aspetos da técnica deh3 shiatsu e tire todas as suas dúvidas antes de tomar a decisão de procurar um terapeuta especializado nesta medicina complementar.

O shiatsu é uma terapia japonesa com efeitos de relaxamento ou de estimulação (adapta-se às necessidades da pessoa) que pode ser usada em qualquer idade. Distingue-se de outras técnicas de massagens por atribuir os sintomas de doença a bloqueios energéticos. O principal objetivo é restabelecer a harmonia no organismo, o que se traduz em benefícios a nível mental, físico e emocional, permitindo restabelecer os fluxos de energia do corpo e garantindo não só o seu bom funcionamento, mas também o equilíbrio entre mente e corpo, essencial para se ter uma boa qualidade de vida.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados