5 Doenças da Pele Mais Comuns no Verão

5 Doenças da Pele Mais Comuns no Verão

Saúde e Medicina
Última atualização: 07/08/2023
  • A exposição a fatores relacionados com a luz solar e a água pode levar ao desenvolvimento de doenças da pele.
  • Saiba quais os problemas e doenças de pele mais comuns no verão.
  • Existem cuidados que podem prevenir o aparecimento das doenças.
pele saudavel

No verão, criam-se as condições ideias para a proliferação de fungos na pele.

Nos meses do verão, com o aumento da temperatura e da exposição solar, aumenta também a transpiração e humidade do corpo, além de que, na época balnear, contactamos com maior regularidade com águas de locais públicos, como piscinas e também com a areia, criando-se as condições ideias para a proliferação de fungos.

Saiba quais os problemas e doenças de pele mais comuns no verão e conheça também quais os cuidados que deve ter para evitar algumas complicações dermatológicas.

Micoses

Muito associadas ao verão, as micoses de pele são um tipo de doença causada pela presença de fungos que causam comichão, vermelhidão e descamação. Podem atingir qualquer região do corpo, mas nos meses mais quentes é mais comum atingirem os dedos dos pés (pé-de-atleta) ou as virilhas (neste caso a micose pode estender-se a toda a região púbica, atingindo nádegas e coxas e é três vezes mais comum entre homens).

Os fungos das micoses aproveitam as condições mais favoráveis da pele para desencadearem um processo infecioso, e podem ser apanhados em diversas situações, como por exemplo caminhar descalço em pisos húmidos e/ou públicos, lava-pés de piscinas e saunas, chuveiros públicos, etc.

O tratamento com um antifúngico tópico (colocado diretamente sobre a pele) é uma forma rápida e eficaz de combater esta infeção. No entanto, em alguns casos é necessário recorrer à terapêutica oral.

Pitiríase Versicolor – Micose de praia

Considerada leve e não contagiosa, a pitiríase versicolor é uma infeção fúngica que ocorre na camada superficial da pele. A pitiríase versicolor caracteriza-se por zonas de despigmentação na pele, que se tornam mais evidentes no verão, e ocorre devido ao crescimento anormal de um fungo que se encontra na flora natural da pele, o Malassezia furfur.

Também conhecida como “micose de praia” ou “pano branco”, identifica-se facilmente por serem visíveis várias manchas na pele que podem brancas, acinzentadas, avermelhadas ou acastanhadas. Estas manchas podem apresentar uma ligeira descamação, ser pequenas, isoladas ou conjuntas, formando uma ou mais manchas maiores. Geralmente, localizam-se na parte superior do tronco, como costas, abdómen, braços e pescoço.

Esta doença da pele é tratada com aplicação tópica de medicamentos antifúngicos e pode ser prevenida através de cuidados de higiene corporal e proteção solar.

Queimaduras e irritações pelo sol

Durante os meses mais quentes, as queimaduras e irritações na pele são frequentes devido ao aumento da exposição solar, e estão associadas a uma sensação de desconforto e mal-estar.

A vermelhidão ou irritação, também conhecida como eritema solar ou escaldão, é uma resposta inflamatória da pele causada pela exposição à radiação.

As queimaduras solares da pele podem não ser imediatamente evidentes, mas passadas algumas horas, são acompanhadas por: vermelhidão, sensação de calor, dor local/maior sensibilidade. Nos casos mais graves, ocorre ainda prurido, bolhas e inchaço, e as queimaduras podem ainda provocar febre e deixar cicatrizes na pele.

Usar protetor solar é fundamental para prevenir irritações e queimaduras solares, sendo que, quanto maior for o fator de proteção, mais tempo poderá estar protegido contra uma potencial queimadura solar. Reforce a proteção depois de ir à água e certifique-se que tem o corpo seco antes de colocar o creme.

Ainda que a maioria das queimaduras solares desapareça por si só em poucos dias, algumas queimaduras podem exigir cuidados médicos. Caso tenha uma queimadura solar, deve arrefecer a pele queimada com água fria ou aplicando compressas frias, aplicar uma loção ou gel para aliviar o desconforto. Até que a pele esteja completamente cicatrizada, deve manter a zonas afetada protegida do sol.

Acne Solar

Caracterizado por uma erupção que atinge maioritariamente o tronco e os ombros, o acne solar surge frequentemente após episódios de exposição solar intensa. Apresenta uma aparência diferente da acne comum, com pústulas (elevações da pele com pus) menores, menos inflamatórias e que secam mais rapidamente. Apesar de menos comum, pode também ocorrer no rosto, sendo semelhante ao típico acne.

Muito comum durante o verão, a acne solar pode ser evitada com a utilização de protetor solar, de preferência com base não oleosa, aplicado antes e durante a exposição ao sol.

Quanto ao tratamento, este poderá ser igual ao aplicado na acne vulgar, como é o caso do uso de exfoliantes e antibióticos em loção ou gel, sempre que houver inflamação.

Foliculite

A foliculite ocorre quando existe infeção dos folículos pilosos causada por bactérias. O aumento do calor e do suor característico do verão são os principais fatores que condicionam o seu desenvolvimento.

Existem dois tipos de infeção:

A foliculite superficial que afeta apenas a parte superior do folículo piloso e causa borbulhas com ou sem pus, pele vermelhada e inflamada, e algum prurido.

O furúnculo ocorre quando a inflamação atinge zonas mais profundas da pele, trazendo uma dor intensa.

Normalmente é mais comum na barba e nuca, quando se fala dos homens, e nas axilas e virilhas, no caso das mulheres. O tratamento passa sempre pelo antibiótico e por isso deve ser sempre acompanhado por um médico que diagnosticará e aconselhará o melhor tratamento, sendo que a melhor forma de prevenção é manter a pele limpa e seca.

Cuidados com a Pele

Nesta altura do ano, estamos em contacto com diversos fatores relacionados com a exposição solar e a água que podem levar ao desenvolvimento de doenças de pele. Estas podem ser evitadas, se tivermos alguns dos cuidados preventivos:

  1. Usar protetor solar: é imprescindível a aplicação de protetor solar, com fator de proteção 30, no mínimo.
  2. Limpar o rosto: manter uma rotina diária de limpeza da pele pode evitar o aparecimento de problemas de pele como o acne.
  3. Secar bem o corpo: limpar o rosto e corpo após os banhos para remover o máximo de humidade possível. Ter especial cuidado a zonas onde a pele dobra, como as virilhas, entre os dedos e axilas.
  4. Trocar de sapatos: substituir os sapatos fechados por chinelos e sandálias, para evitar a transpiração e acumulação de suor entre os dedos.
  5. Hidratar: ingerir 2 litros de água diariamente para manter o corpo e a pele hidratados, assim como ingerir alimentos ricos em água.
  6. Evitar tratamentos de pele durante o verão: a pele fica mais sensível durante os tratamentos de pele, dado que os produtos ou laser têm uma ação intensa sobre a pele, podendo surgir manchas ou irritações ao expor-se ao sol antes ou depois de tratamentos.

Caso tenha dúvidas sobre o que deve fazer para cuidar da pele durante o verão, pode consultar a nossa Rede Médica para encontrar o dermatologista mais próximo.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados