Micro-injeção de gâmetas (ICSI)

Micro-injeção de gâmetas (ICSI)

Por indicação médica, poderá ser equacionada uma nova abordagem que consiste na micro-injeção de gâmetas – ICSI, injeção intracitoplasmática de espermatozoides.


micro-injecao-de-gametas


Esta é uma técnica dirigida sobretudo à infertilidade de causa masculina, por exemplo, quando há baixa mobilidade dos espermatozóides ou alterações na sua morfologia. Pode, por isso, ser proposta de imediato ao casal sem que haja recurso prévio a outras técnicas de Procriação Medicamente Assistida (PMA).

Trata-se de uma especialização da Fertilização in Vitro (FIV) que consiste na introdução do espermatozóide diretamente no ovócito por meio de micro-injeção, em ambiente laboratorial controlado. Desta forma, o que se procura garantir é que a fertilização seja bem sucedida.


Fases do tratamento de micro-injeção de gâmetas


Biopsia testicular (quando aplicável)

O procedimento de recolha de espermatozóides faz-se habitualmente a partir do sémen ejaculado. Todavia, há situações excecionais, como as de ausência de espermatozóides no sémen ejaculado – azoospermia – em que é necessário ir diretamente ao local da sua produção. Recorre-se, assim, à biopsia testicular – TESE, sigla inglesa correspondente a extração de espermatozóides testiculares. Este procedimento consiste na recolha de uma pequena porção de tecido testicular para detetar as formas móveis de espermatozóides. Há um pequeno fragmento desta amostra que é encaminhado para anatomia patológica, sendo o restante imediatamente criopreservado.


Punção ovárica + ICSI

O passo seguinte é a colheita dos ovócitos, efetuada cerca de 36 horas após a administração da hCG, ou de outra hormona utilizada para o mesmo efeito. A punção transvaginal é feita sob controlo ecográfico e com recurso a anestesia de modo a não existir qualquer desconforto para a mulher. Por sua vez, e após 2 a 3 dias de abstinência sexual, o homem procede à colheita do sémen, que é de imediato preparado em laboratório com vista à micro-injeção.
A fertilização acontece logo após a colheita dos ovócitos e dos espermatozoides. O líquido folicular, colhido através da punção é analisado para identificação dos ovócitos, que são colocados em ambiente de cultura. Posteriormente, é incubado o sémen no qual foi previamente detetada uma concentração adequada de espermatozoides móveis.


Transferência de embriões

A transferência dos embriões realiza-se 2 a 3 dias após a mulher ter efetuado a punção transvaginal, podendo também acontecer 5 a 6 dias depois. O número de embriões a transferir depende da qualidade dos mesmos, idade da mulher, mas também da decisão do casal. Em regra, transfere-se 1 a 2 embriões por se considerar que este número corresponde a uma melhor taxa de sucesso, com menor risco de uma gravidez múltipla. Os embriões a transferir são colocados num fino cateter que é introduzido no útero. Este procedimento não requer anestesia.


Criopreservação de embriões

O processo de ICSI, por decorrer em ambiente laboratorial controlado, permite acompanhar de perto o desenvolvimento embrionário de forma a identificar quais os embriões que são passíveis de transferência. Em cerca de 50% dos casos obtêm-se mais embriões do que aqueles que são transferidos num primeiro ciclo de tratamento, situação em que é disponibilizada a criopreservação.
Na prática, significa que esses embriões são criopreservados, podendo ser utilizados num futuro ciclo para tentar uma segunda gravidez ou após um caso de insucesso. A grande vantagem deste procedimento é que deixa de haver necessidade de recorrer a um novo processo de estimulação ovárica e à realização de uma nova punção.


FAQS

Em que situações se recorre a uma biópsia testicular?

É realizada uma biópsia testicular quando existem situações de azoospermia (ausência de espermatozóides ejaculados). O paciente saberá se necessita de ser sujeito a uma biópsia testicular após serem conhecidos os resultados dos espermogramas efetuados durante a fase de diagnóstico. 

Como é feita a biópsia testicular?

A biópsia testicular é feita sob sedação analgésica e consiste na colheita de tecido testicular para obtenção de espermatozóides e sua criopreservação em azoto líquido. Por sua vez, o tecido testicular criopreservado pode ser mantido até 3 anos. Existe ainda a possibilidade de serem requeridos períodos adicionais de 3 anos para a sua manutenção.

Como funciona a punção ovárica?

A punção ovárica (colheita de ovócitos) é efetuada com controlo ecográfico e sob o efeito de uma sedo-analgesia para minorar o desconforto. Este é um procedimento com a duração de apenas 15 a 20 minutos, sendo a paciente aconselhada a permanecer na clínica 2 a 3 horas após a realização da punção ovárica.

A micro-injeção de gâmetas é realizada em regime ambulatório ou de internamento?

A micro-injeção de gâmetas é realizada em regime ambulatório.

Existe algum cuidado a ter antes e após o tratamento?

Depois de se proceder à punção ovárica recomenda-se que a paciente seja acompanhada até casa devido à sedo-analgesia administrada.

Qual a duração média do tratamento?

Punção + Técnica de micro-injeção de gâmetas (ICSI) + Transferência de embriões: Até 1 semana. 

Em que momento é feita a criopreservação dos embriões?

Num período de 2 a 6 dias após o processo de ICSI, quando se obtêm 1 ou mais embriões. 

Quando é aconselhada a criopreservação de embriões?

A criopreservação é fundamental no caso de existirem embriões excedentários ou não existir indicação para transferência a fresco. A utilização de embriões criopreservados permite não submeter a mulher a uma nova estimulação ovárica e respetiva punção.

Qual o local onde irei realizar o tratamento?

O tratamento será realizado no Centro Médico de Assistência à Reprodução (Cemeare) - Prestador convencionado AdvanceCare. Informe-se junto da Cemeare sobre os médicos que o irão acompanhar ao longo de todo o processo. 

Qual o preço do tratamento?

O preço que irá pagar pela micro-injeção de gâmetas terá o valor total de 3 550 euros
Pacote inclui: Punção ovárica + ICSI + Transferência de embriões + Criopreservação de embriões.
No caso de ser necessário o recurso a uma micro-injeção de gâmetas com biópsia testicular, acresce o custo de 1 550 euros, passando o valor total a ser 5 100 euros.

Terei de suportar algum custo adicional ao tratamento?

Além do tratamento em si, estão também incluídos os a punção ovárica, a transferência de embriões e a sua respetiva criopreservação. Medicação, exames ecográficos necessários, análises ao sangue, ou a eventual necessidade de apoio psicológico constituem um custo adicional e casual a contratualizar diretamente com a clínica.
No caso de se proceder a uma biópsia testicular não estão incluídos: a análise histológica de tecido testicular, consulta especializada de Urologia e o custo de eventuais prolongamentos da manutenção de tecido testicular criopreservado para além dos primeiros 3 anos previstos.

Onde deverá ser efetuada a compra? Através da AdvanceCare ou diretamente na Clínica?

A compra deverá ser efetuada na loja online da AdvanceCare. Só deste modo poderá usufruir dos valores convencionados com o Centro Médico de Assistência à Reprodução (Cemeare). Uma vez efetuada a compra, irá receber o seu voucher, devendo apresentar o mesmo na clínica no dia da consulta. Através dos números 707 100 005 ou 21 019 28 16, poderá ter acesso a um consultor que o irá apoiar e esclarecer ao longo de todo este processo.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados