Doenças cardiovasculares: 4 formas de se defender

A prevenção é a melhor arma no combate às doenças cardiovasculares, a primeira causa de morte no nosso país. Não fumar, adotar uma alimentação equilibrada e praticar exercício físico podem fazê-lo ganhar anos de vida. Descubra 4 formas de se defender.


4-formas


A designação doenças cardiovasculares abrange problemas que afetam os vasos sanguíneos, mas também o próprio músculo cardíaco, as válvulas ou o ritmo cardíaco. Além de serem a principal causa de morte em Portugal, são uma importante causa de incapacidade.

As mais frequentes são as relacionadas com a acumulação de gordura na parede dos vasos sanguíneos – aterosclerose – , que progressivamente vão dificultando a passagem do sangue ou a impedem bruscamente. Este processo tem início numa fase precoce da vida e progride silenciosamente, pelo que muitas vezes as manifestações clínicas assumem a forma de um episódio súbito, inesperado e grave, como um enfarte do miocárdio (“ataque cardíaco”) ou Acidente Vascular Cerebral (AVC).

A idade e a história familiar aumentam o risco de doenças cardiovasculares, mas existem outros fatores que dependem de cada um e cujo controlo é uma arma potente para reduzir as complicações das doenças cardiovasculares:

Estes fatores de risco podem ser reduzidos através de um estilo de vida saudável, que deve ser adotado de forma precoce e continuada.


O que poderá fazer?


1. Não fume

Além dos benefícios a nível respiratório e de redução do risco de cancro, a cessação do hábito tabágico é considerada a medida preventiva mais importante, para a redução do risco de doenças cardiovasculares. Os efeitos nocivos do tabaco são cumulativos, por isso é sempre benéfico abandonar o vício. Os “fumadores passivos” também estão sujeitos aos efeitos nocivos.


2. Adote uma alimentação saudável

O segredo é seguir as indicações da roda dos alimentos, diversificando os grupos alimentares (e os alimentos de cada grupo) e a proporção entre cada grupo:

  • Consuma 5 porções diárias de fruta e vegetais (frescos ou congelados), que são ricos em fibras, vitaminas, minerais e antioxidantes que protegem a saúde, e prefira hidratos de carbono (pão, massa e arroz) integrais.
  • Reduza o consumo de carnes gordas, bolachas, bolos e lacticínios gordos, ricos em gorduras saturadas e gorduras tipo “trans”, que aumentam os níveis de “mau” colesterol, contribuindo para o entupimento das artérias e para a dislipidemia (nível de gorduras no sangue).
  • Coma peixes gordos (salmão, atum, cavala e a sardinha) 3 vezes por semana. São ricos em ácidos gordos ómega-3, que ajudam a regular os batimentos cardíacos, melhoram a resistência dos vasos sanguíneos e previnem a formação de coágulos.
  • Minimize o consumo de sal: o sódio, um dos seus componentes, é um dos principais responsáveis pela hipertensão arterial. Verifique os rótulos de produtos como o pão, alimentos pré-cozinhados, batatas fritas, aperitivos, bolachas, bolos e cereais de pequeno-almoço.
  • Modere o consumo de álcool. O álcool pode afetar gravemente o músculo do coração, aumentar a pressão sanguínea e levar ao aumento de peso. Não beba mais do que 2 a 3 dl de vinho por dia, de preferência vinho tinto.

3. Pratique exercício físico regularmente

Ter um estilo de vida ativo é uma excelente forma de reduzir os níveis de stress. Para além disso permite combater cada um dos fatores de risco de doenças cardiovasculares. Comece por aproveitar todos os pretextos que tem no quotidiano para se mexer em vez de ficar parado:

  • Suba escadas em vez de usar o elevador, estacione o carro mais longe, etc.
  • Integre 10 minutos de exercício físico de intensidade moderada no seu dia – pode simplesmente caminhar, a um ritmo em que consiga falar, mas com dificuldade. Vá aumentado até chegar aos 30 minutos (que pode dividir em dois períodos de 15 minutos) por dia.
  • Se nunca praticou desporto ou não o faz há muito tempo, aconselhe-se com o seu médico antes de iniciar qualquer treino mais específico.

4. Monitorize a saúde

É importante medir a pressão arterial (em casa ou na farmácia), o nível de açúcar (glicemia) e o nível de gorduras (dislipidemia) no sangue, para controlar a existência de hipertensão, diabetes e colesterol.

Estes cuidados assumem maior importância a partir dos 50 anos para as mulheres e a partir dos 40 para os homens. Para isso, deve visitar regularmente o seu médico, que lhe prescreverá as análises necessárias. E recorde-se que, a prevenção é o melhor método para evitar problemas cardiovasculares.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados