Mamoplastia de aumento

Mamoplastia de aumento

A mamoplastia é a cirurgia plástica mais procurada pelas mulheres de todo o mundo. Saiba tudo sobre esta técnica e se é a melhor solução para o seu problema.


mamoplastia


Com mais de um milhão e setecentas mil intervenções realizadas num só ano, segundo as estatísticas mundiais da International Society of Aesthetic Plastic Surgery relativas a 2013, a mamoplastia de aumento está no topo da lista das cirurgias mais procuradas pelas mulheres que desejam alterar a sua imagem e aumentar a sua autoestima.


O que é a mamoplastia de aumento

A mamoplastia de aumento consiste no aumento do volume de um ou de ambos os seios permitindo também a correção de uma ptose ligeira e aumentar um pouco a firmeza dos mesmos. Regra geral, através da colocação de implantes de silicone com texturas, consistências e tamanhos distintos. Pode ainda recorrer-se à remoção de tecidos ou gorduras de outras zonas do corpo para posterior inserção na mama, técnica mais usada em cirurgia reconstrutiva.


A quem se destina a mamoplastia de aumento

A principal razão que leva as mulheres a realizarem uma mamoplastia de aumento é melhorar a forma ou o volume do peito, quando este se apresenta pequeno ou desproporcional ao corpo e não corresponde à autoimagem desejada ou de uma perda de volume após a gravidez ou de um processo de emagrecimento. Este procedimento cirúrgico pode também ser utilizado para corrigir uma assimetria mamária, um dos casos mais frequentes é quando um cirurgião pretende reconstruir uma mama que foi ressecada por razões oncológicas ou ainda simetrizar a outra mama, na mesma situação.
Em consulta, é feita uma avaliação da paciente (história clínica, idade, estado de saúde, qualidade de pele, volume e/ou ptose mamária, motivações). A cirurgia pode estar contraindicada em situações como: redução do fluxo sanguíneo mamário, problemas no sistema imunitário, na coagulação sanguínea e na cicatrização, patologias cardiovasculares ou endócrinas, associadas a risco cirúrgico.
Como todas as cirurgias, a mamoplastia de aumento pode acarretar riscos, que variam dependendo do quadro clínico de cada pessoa. Por isso, aproveite a primeira consulta de cirurgia plástica com o seu médico cirurgião para se informar sobre os eventuais riscos e complicações e esclarecer todas as dúvidas.


Resultados

Tal como em qualquer outro tipo de cirurgia plástica, não é possível fazer uma previsão 100% exata do resultado, uma vez que este depende não só da técnica como das características da pele, capacidade de recuperação e cicatrização, entre outros fatores. Por norma, após uma mamoplastia de aumento, o peito tem uma aparência semelhante à natural, mostrando-se mais simétrico e mais firme. O resultado final será visível apenas meses após a cirurgia e manter-se-á durante vários anos.
Como acontece em todas as cirurgias, na mamoplastia de aumento as cicatrizes são inevitáveis. Contudo, o médico cirurgião trabalha para que sejam o menos visível possível. Por norma, estas cicatrizes têm apenas alguns centímetros e encontram-se em locais que praticamente se tornam impercetíveis com o tempo.


Passo a passo

A mamoplastia de aumento é um procedimento cirúrgico que normalmente requer uma anestesia local com sedação ou anestesia geral e tem uma duração aproximada de 2 horas. O cirurgião começa por efetuar uma incisão na mama, através da qual será introduzida a prótese. Dependendo do paciente, do objetivo ou do tamanho do implante, a incisão poderá ser feita na zona sub-mamária, peri-areolar ou axila. O implante poderá ser colocado o músculo peitoral (sub-muscular) ou no tecido glandular, que neste caso poderá ser colocado por baixo ou por cima do músculo. O tipo de incisão, assim como o local de colocação do implante deverá ser definido pelo cirurgião, em conjunto com o paciente, tendo em conta o seu caso clínico e as suas expetativas.


Pós-operatório

Normalmente, o internamento neste tipo de cirurgia é breve, existindo a possibilidade de ser realizada em regime ambulatório. Após a operação, pode surgir desconforto, edema, maior consistência mamária, dor ou equimose. É frequente ocorrerem alterações na sensibilidade da mama e mamilo, que podem manifestar-se por um aumento, por vezes doloroso, durante o primeiro semestre, poderá ser indicada a toma de medicamentos para aliviar o desconforto e minimizar o risco de infeção. Perante sintomas como dor ou edema acentuados, sensação de ardor ou calor, perda de líquido e deformação da mama, deve contactar o médico. Para evitar o risco de complicações durante este período, siga as indicações do médico cirurgião e aumente as probabilidades de uma recuperação rápida.


Regresso à rotina

Apesar do inchaço e desconforto mamário, que podem prolongar-se por semanas ou meses, é possível retomar a rotina normal logo após alguns dias. Nas primeiras 4 semanas devem ser evitados esforços, atividades físicas intensas ou que impliquem contacto com a mama. Recomenda-se ainda o uso de um soutien específico. A colocação de implantes não altera o funcionamento da mama nem impede a amamentação. No que respeita ao rastreio imagiológico da mama, os implantes interferem na capacidade de interpretação do exame e podem dificultar a sua realização, sobretudo se colocados sobre o músculo. Nestes casos é importante informar o médico para que tome as medidas necessárias. Convém ter em mente que o peito continuará sujeito às alterações características da idade (perda de tónus e envelhecimento cutâneo), da componente hormonal (gravidez, menopausa) ou das oscilações de peso. Usar um soutien que ofereça o suporte adequado é essencial para minimizar danos. Uma consulta médica anual é também recomendada após a mamoplastia de aumento para verificação dos implantes.

A mamoplastia de aumento é um procedimento de cirurgia plástica muito difundido que visa dar resposta a problemas como a falta de volume, assimetria ou peito desproporcional ao corpo, tendo um impacto inquestionável na autoestima feminina.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados