Combata a retenção de líquidos

Combata a retenção de líquidos

Cirurgia Plástica e Estética
Última atualização: 19/12/2022
  • A retenção de líquidos é um fenómeno motivado pela incapacidade do organismo de eliminar fluidos além da composição de água normal do organismo, e que se traduz no aparecimento de edema nos membros inferiores e zona abdominal.
  • O sistema linfático, aliado do sistema imunológico, responsável pela eliminação de líquidos e promoção da eliminação de toxinas, pode ser estimulado pela drenagem linfática e diminuir a retenção de líquidos.
  • A procura de ajuda médica, bem como o diagnóstico e tratamento corretos, em especial no caso da existência de uma patologia subjacente, são necessários para combater com sucesso a retenção de líquidos.

A acumulação de fluidos no organismo é um fenómeno comum que pode ter várias causas. A drenagem linfática pode ser uma ajuda para este problema. Saiba como esta técnica ajuda a eliminar o mal-estar e o inchaço.

Um problema comum que afeta milhares de pessoas em todo o mundo, e em especial as mulheres, é a retenção de líquidos (insuficiência do organismo para eliminar os fluidos em excesso) podendo indicar erros alimentares facilmente alteráveis, má circulação ou alterações hormonais, motivadas, por exemplo, pela menstruação, gravidez ou menopausa. Este problema origina mal-estar e inchaço e pode estar associado ao aparecimento de celulite. Os membros inferiores (em especial as coxas) e a zona abdominal são as áreas mais afetadas pelo edema.

Corpo H2O

Um sistema complexo de hormonas e prostaglandinas (substâncias semelhantes a hormonas) é utilizado pelo corpo humano para regular os níveis de água e garantir que este não ultrapasse os valores considerados normais: embora a percentagem de 70% seja a mais conhecida por todos, a proporção de água no corpo humano varia entre homens e mulheres e consoante a idade (normalmente, as crianças têm uma percentagem de água mais elevada que os adultos). De acordo com um artigo da Nutrition Today, no nosso organismo, a água desempenha funções essenciais: na digestão, transporte e absorção de nutrientes; na formação e estabilização de estruturas celulares; e na eliminação de toxinas. Participa, ainda, em várias reações químicas, atua na termorregulação do corpo e é um importante lubrificante de cavidades como as articulações.

Independentemente dos líquidos ingeridos, as glândulas sudoríparas e os rins excretam rapidamente o excesso de água através da transpiração e urina. Entre outras situações, se a função renal está comprometida, este órgão não terá capacidade para assegurar a eliminação dos fluidos em excesso. Nas zonas onde existe acumulação de líquidos – pernas, abdómen ou mãos – surge inchaço ou edema.

Como combater a retenção de líquidos

A drenagem linfática pode ser uma aliada poderosa para prevenir e combater tanto este problema, como a celulite que tende a aparecer nas zonas do corpo mais propensas à retenção de líquidos. O sistema linfático funciona a par do circulatório. É composto por uma extensa rede de vasos e pequenas estruturas (nódulos linfáticos), que estão distribuídos por todo o corpo, recolhendo os líquidos dispersos, filtrando-os e conduzindo-os para a circulação sanguínea. De acordo com uma revisão de literatura recente, o sistema linfático tem três funções principais:

  1. Manutenção do equilíbrio de fluidos no organismo;
  2. Facilitação da absorção de gorduras dietéticas do sistema gastrointestinal para a circulação sanguínea, tanto para o seu armazenamento como para o metabolismo;
  3. Reforço e promoção do funcionamento do sistema imunológico.

As pressões leves e indolores da drenagem linfática ajudam a direcionar os líquidos para as estruturas que têm esta função, contribuindo para descongestionar os vasos linfáticos, ativar o sistema imunológico e promover a desintoxicação do organismo. Por ser relaxante e indolor, este método é bastante utilizado na acumulação de líquidos que ocorre durante a gravidez, na síndrome pré-menstrual ou, entre outras situações, na perda de peso associada ao exercício físico e à mudança de hábitos alimentares.

Recomendações médicas

Se na maior parte dos casos a retenção de líquidos não tem uma origem patológica, existem situações em que este problema pode denunciar a existência de complicações mais graves do que a habitual oscilação hormonal feminina.

Por exemplo, esta acumulação de líquidos pode ser consequência de um desequilíbrio do sistema hormonal, problemas cardíacos ou hepáticos que provocam uma acumulação de fluido no sistema circulatório, nos tecidos periféricos e músculos.

Se a sua for alguma destas situações, deverá contactar o seu médico para averiguar a existência de uma patologia subjacente:

  • Se o inchaço ou edema forem um caso recorrente;
  • Se os seus pés incharem muito ao longo ou ao final do dia;
  • Se acordar com as pálpebras ou o rosto inchado;
  • Se tiver episódios de inchaço em apenas uma perna ou braço;
  • Se aparecer edema no corpo após a toma de um novo fármaco.

Diagnóstico e tratamento

Dependendo da causa, que pode ser diagnosticada em análises ao sangue, o tratamento da retenção de líquidos pode cingir-se a procedimentos simples como a alteração de hábitos alimentares e comportamentais e/ou a toma de fármacos diuréticos. Estar sentado ou em pé durante longos períodos de tempo, consumir muito sal, a obesidade, a gravidez e a toma de medicamentos para a pressão arterial, terapia hormonal, antidepressivos, esteroides ou contracetivos podem estar na base do aparecimento de edema nas pernas, tornozelos e pés.

Caso o motivo da acumulação de líquidos seja uma doença, a drenagem linfática não funciona isoladamente e requer o controlo da patologia através do tratamento médico. Algumas patologias que podem causar edema nos membros inferiores são: lesões (uma entorse, por exemplo); problemas cardíacos, hepáticos ou renais; um coágulo sanguíneo; uma infeção; entre outros. Qualquer uma destas condições requer acompanhamento médico.

Existem algumas dicas que pode seguir de forma a estimular a circulação linfática e sanguínea, e, assim, assegurar o equilíbrio hídrico do organismo:

  • Reduzir o sal na sua alimentação e consumir alimentos ricos em potássio;
  • Beber muita água, para estimular a eliminação de água através da urina;
  • Praticar exercício físico para estimular a eliminação de água através do suor – segundo a Johns Hopkins Medicine, existem também exercícios “descongestionantes” de flexibilidade, força, posturais, de respiração e aeróbicos que foram desenhados para promover a circulação linfática e diminuir o edema;
  • Evitar permanecer muito tempo sentado ou em pé, para que não se acumulem líquidos nas zonas das pernas ou abdominal.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados