Exercício físico na menopausa

Exercício físico na menopausa

A boa forma física é o passaporte para uma menopausa saudável e tranquila. Conheça os benefícios do exercício físico nesta fase da vida e as modalidades mais indicadas.


exercicio-fisico-na-menopausa


Os 45 anos são a idade de referência a partir da qual pode iniciar-se uma nova fase na vida da mulher: a menopausa. Por definição, esta tem início quando uma mulher já não é menstruada há mais de 1 ano – o que ocorre, regra geral, entre os 45 e os 55 anos – e é precedida por uma fase de irregularidade menstrual, designada por perimenopausa. O motor de todas estas mudanças são as hormonas, cujas alterações têm um impacto decisivo no corpo da mulher. O metabolismo abranda, o que leva à perda de massa muscular e, logo, à menor capacidade de queimar calorias. A acumulação de peso na zona abdominal acentua-se, constituindo um risco acrescido para as doenças cardiovasculares, e o enfraquecimento ósseo é mais marcado. Em todos estes aspetos, a prática de atividade física pode ser altamente benéfica. Aliás, segundo um estudo publicado no Journal of Midlife Health, o exercício físico é, entre todas alterações de estilo de vida que devem ser implementadas nesta fase, aquela que proporciona mais benefícios e, por isso, a que reúne maior consenso científico.


Exercício físico na prevenção de doenças

A importância do exercício físico nesta fase da vida é elevada, uma vez que não só contribui para um bom estado de saúde geral como melhora a qualidade de vida. Por um lado reforça a massa muscular, previne o aumento de peso e fortalece a estrutura óssea. Por outro, ajuda a manter um peso adequado, ajudando a prevenir a obesidade e a diabetes, melhora a capacidade cardiovascular, facilita a circulação sanguínea e diminui o risco de hipertensão. A nível respiratório, o exercício físico moderado fortalece os pulmões e o coração e melhora a capacidade respiratória.


Alívio dos sintomas comuns na menopausa

Praticar exercício ajuda ainda a atenuar sintomas como os afrontamentos e atua a nível psicológico, contribuindo para aumentar a autoestima, reduzir o stress e os problemas de sono, assegurando uma sensação de bem-estar, graças à libertação de serotonina (hormona da felicidade) e de endorfinas, neurotransmissores que provocam a sensação de bem-estar.


Que modalidade escolher?

Em traços gerais, o exercício físico pode dividir-se em 3 áreas, segundo o objetivo: flexibilidade, tonificação muscular e resistência cardiovascular. Para obter o máximo benefício da prática física convém aliar estes 3 eixos. Uma modalidade que reúne o consenso da comunidade médica é a marcha. De facto, esta é considerada uma atividade completa, pois permite trabalhar as pernas, braços e os músculos do abdómen para a respiração. Para obter os seus benefícios, deve ser praticada a uma intensidade moderada, o equivalente a um passeio a passo rápido, durante 30 minutos por dia.


Atividade física na água

Outras modalidades indicadas para esta faixa etária são as que se realizam na água – natação, hidroginástica – pois permitem o trabalho muscular reduzindo o impacto e o esforço em pessoas com excesso de peso, problemas articulares ou doenças inflamatórias ósseas. Andar de bicicleta é uma boa alternativa à marcha ou natação (cardiovascular), a ginástica localizada melhora o tónus muscular e atividades como a dança, o yoga e os alongamentos fomentam a flexibilidade. Praticar Tai chi pode ser recomendado para melhorar o equilíbrio.


Boas práticas, bons resultados

Antes de iniciar a prática de uma modalidade deve ter em conta a sua condição física atual, capacidade cardíaca e eventuais fragilidades como problemas articulares, peso em excesso, dores de costas, entre outros. A intensidade ou ritmo a que é praticada bem como a frequência devem também ser adaptadas a cada caso, pelo que deve aconselhar-se previamente com o seu médico. Seja qual for a sua opção, deve aumentar a intensidade ou frequência gradualmente. Complementar o treino cardiovascular regular (marcha diária por exemplo) com exercícios localizados permite tonificar o tronco e membros, fortalecendo tanto os músculos como as articulações. Para tal, pode recorrer a pequenos pesos ou usar o seu próprio peso, fazendo entre uma e cinco séries de exercícios com cerca de 10 a 15 repetições cada. A sessão de treino localizado deve terminar invariavelmente com exercícios de alongamento, essenciais para a flexibilidade, relaxar os músculos e evitar dores ou lesões. O treino localizado deve ser realizado de forma mais pontual, com um intervalo de 2 dias para permitir a recuperação muscular e dosear o esforço global.

Em suma, o plano ideal inclui a prática de exercício aeróbio durante 30 minutos entre 3 e 5 dias por semana, complementada com exercícios localizados pelo menos 2 vezes por semana.
Na menopausa ocorrem várias alterações no organismo feminino, motivadas pela componente hormonal, com implicações na saúde a vários níveis. Praticar exercício físico regularmente na menopausa tem benefícios comprovados, tanto a nível físico como psicológico, e existem modalidades mais aconselháveis. Por isso, é aconselhável que o faça gradualmente.

 

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados