Os benefícios de uma boa noite de sono

Os benefícios de uma boa noite de sono

O desempenho físico e mental depende de uma noite de sono de qualidade. Fique a saber porque é tão importante dormir o suficiente e desmistifique algumas ideias erradas sobre o sono.


6


Mais energia, bem-estar geral, lidar melhor com o stress. São muitos os benefícios de uma boa noite de sono para o nosso organismo. Além de um papel revigorante, a qualidade do sono melhora o metabolismo, ajudando na perda de peso e na prevenção de doenças crónicas. Num recente estudo de Matthew Walker, diretor do Centro de Ciência do Sono da Universidade da Califórnia, o neurocientista afirma que quanto menos dormimos, menos vivemos e que a privação de sono se tem generalizado na sociedade moderna, afetando todos os aspetos biológicos.

O sono é importante para a sobrevivência, para a qualidade de vida e até do ponto de vista profissional. Sabe-se que a falta de sono pode levar à diminuição do desempenho no trabalho, levando a que se gaste mais tempo na execução de tarefas e conduzindo até a decisões erradas. Pode também estar associado a um maior absentismo laboral, com impacto económico.

As luzes, a televisão, os ecrãs de computador e uma divisão cada vez menor entre o que é o tempo pessoal e o tempo de trabalho são alguns dos responsáveis que têm contribuído para que não se durma o suficiente ou que não se tenha um sono reparador. 


Necessidades de sono variam

No livro “Why We Sleep”, Matthew Walker defende que não dormir bem, pelo menos 7 ou 8 horas por noite, pode levar a uma morte prematura e a uma vida com mais doenças. Para este neurocientista, o primeiro passo é começar a adormecer e acordar às mesmas horas, todos os dias. Mas não leve à risca a teoria que todas as pessoas precisam de dormir oito horas por noite. Segundo Matthew Walker, há umas que precisam de dormir mais, outras menos.

Cada um dorme aquilo de que precisa e a maior parte das pessoas precisa de sete ou oito horas, outras de nove e outras de um bocadinho menos. E o sono varia de noite para noite. A maior especialista portuguesa em sono, Teresa Paiva, afirma que não temos todas as noites um sono igual, nem os nossos dias são todos iguais.

Para a neurologista, outra crença errada é a de que temos de dormir tudo seguido. E dá o exemplo do homem do Paleolítico, que vivia nas cavernas, tinha de estar sempre alerta, acordando várias vezes durante a noite, porque, se não acordasse, era atacado ou não sobrevivia. Por isso, aconselha a encarar o sono como um algo normal, a ouvir o corpo e a perceber que os riscos são enormes se não soubermos cuidar dele. 


Problemas associados a um sono insuficiente

Ter uma boa noite de sono é fundamental para evitar problemas de futuro. A um sono insuficiente estão ainda associadas patologias como a doença de Alzheimer, cancro, diabetes, depressão, maior risco cardiovascular. Começa-se a perceber que dormir pouco tem custos para a sociedade e, mais particularmente, para as empresas. Não é por acaso que aquelas que são consideradas, a nível mundial, como as melhores empresas para trabalhar, empenham-se em proporcionar ambientes e horários que promovam a qualidade de vida dos seus funcionários.


Os horários influenciam o sono

O ser humano está altamente adaptado ao planeta Terra e os olhos têm umas células particularmente sensíveis ao espectro azul da luz. E este espectro do azul da luz é o azul do amanhecer. A luz do princípio da manhã é carregada do espectro do azul, e a do fim do dia, do espectro do vermelho. Segundo os especialistas, o ser humano está preparado para a luz azul de manhã, isso estimula-o e mantém-no acordado. A luz do entardecer transmite calma e promove a tranquilidade para mais tarde dormir. 

Os melhores conselhos para dormir bem são simples: deixar os problemas de lado quando vai dormir (arranje um caderno em que aponte as suas preocupações antes de se ir deitar), não estar a trabalhar até tarde nem realizar atividades muito intensas (como fazer exercício físico, por exemplo). Se é daquelas pessoas que às vezes acorda a meio da noite, pense em qualquer coisa agradável para voltar a adormecer. Para quem sofre de insónia, os especialistas aconselham a que não se permaneça na cama a matutar. Vá até à sala, leia ou ouça música. E não pegue no telemóvel para se distrair. Estar com o telemóvel na cama a jogar ou a espreitar as redes sociais ainda o vai despertar mais. 


6 conselhos para boas noites de sono:

  1. Vá para a cama e levante-se sempre à mesma hora todos os dias (incluindo no fim de semana);
  2. Durma num quarto confortável, escuro e com uma temperatura amena;
  3. A cama deve ser confortável (escolha um bom colchão) e não a use para ler, ver televisão, ouvir música e/ou usar o telemóvel;
  4. Retire a televisão, computadores e outros gadgets do quarto;
  5. Não faça refeições pesadas antes de ir para a cama;
  6. Diminua a luminosidade da casa cerca de uma hora antes de ir dormir.

Mitos e verdades sobre o sono


São produzidas hormonas durante o sono.

Verdade
Durante o sono são produzidas as hormonas sexuais e as hormonas anabolizantes no homem e na mulher. Muitas das atividades sexuais estão relacionadas com o sono.


Existem diferenças nas insónias?

Verdade
A insónia considera-se crónica quando ocorre mais de três vezes por semana e dura mais de três meses. E tem várias formas: sono não reparador, dificuldade em adormecer, os tais acordar a meio da noite ou acordar cedo de mais. E pode estar ligada a fatores distintos. Há muitos subtipos de insónias e não há duas insónias iguais.


As mulheres têm mais insónias do que os homens?

Verdade
A prevalência da insónia na mulher é três ou quatro vezes maior. Nos idosos também é mais prevalente. É uma mistura complexa entre questões biológicas e sociais.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados