Coronavírus (COVID -19) perguntas e respostas: esclareça as suas dúvidas

Todas as perguntas e respostas acerca do Coronavírus (COVID -19). Saiba o que é, como se proteger e como agir.


cronavirus



1. Que vírus é este? 

Os coronavírus são uma família de vírus conhecidos por causar doença no ser humano. A infeção pode ser semelhante a uma gripe comum ou apresentar-se como uma doença mais grave, como pneumonia. O COVID-19, foi identificado pela primeira vez em humanos, em dezembro de 2019 na China, em Wuhan.


2. A que sintomas devemos estar atentos?

As pessoas infetadas podem apresentar sinais e sintomas de infeção respiratória aguda como febre, tosse e dificuldade respiratória. Em casos mais graves pode levar a pneumonia com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos e/ou eventual morte.


3. O que o coronavírus (SARS-CoV- 2) provoca no organismo?

  • A porta de entrada do vírus no nosso corpo é por meio dos olhos, boca ou nariz, ligando-se às células da mucosa do fundo do nariz e da garganta.
  • O coronavírus é principalmente um vírus respiratório e por isso começa por infetar a garganta.
  • Para se replicar, o coronavírus precisa de ocupar uma célula do organismo de pessoa infetada.
  • Graças às proteínas do seu revestimento, o coronavírus vai atravessar a membrana dessas células.
  • Uma vez dentro das células, à semelhança dos outros vírus, ele começa a replicar-se criando muitos mais vírus.
  • Quando as cópias estão prontas, elas destroem a célula onde se originaram, ficam livres e começam a infetar outras células. Cada vírus pode replicar-se entre 10 mil e 100 mil cópias
  • Quando isto ocorre, o organismo da pessoa infetada percebe que o vírus está presente e começa a produzir uma resposta inflamatória para tentar combatê-lo e é por isso que começamos a sentir dores de garganta e tosse seca.
  • De seguida, o vírus entra nos brônquios, causando irritação e aumentando a tosse. Em resultado, a resposta inflamatória aumenta para combater o vírus, surgindo a febre.
  • Quando o vírus atinge os alvéolos pulmonares, a situação clínica agrava-se, podendo levar ao aparecimento da pneumonia. Quando alguma parte do tecido pulmonar está afetado, começa a dificuldade respiratória, o que leva a que o organismo não receba oxigénio suficiente, necessitando de vigilância em internamento com eventual indicação para ventilação assistida.

4. Como se transmite?

A COVID-19 transmite-se por contacto próximo com pessoas infetadas pelo vírus, ou superfícies e objetos contaminados. Esta doença transmite-se através de gotículas libertadas pelo nariz ou boca quando tossimos ou espirramos, que podem atingir diretamente a boca, nariz e olhos de quem estiver próximo.

As gotículas podem depositar-se nos objetos ou superfícies que rodeiam a pessoa infetada. Por sua vez, outras pessoas podem infetar-se ao tocar nestes objetos ou superfícies e depois tocar nos olhos, nariz ou boca com as mãos.

 


5. A COVID-19 é transmissível pelo ar ou apenas por contacto direto?

Considera-se que a doença COVID-19 pode transmitir-se por gotículas respiratórias (partículas superiores a 5 micra); contacto direto com secreções infecciosas e por aerossóis em procedimentos terapêuticos que os produzem (inferiores a 1 mícron).


6. Qual o período de incubação?

O período de incubação ainda se encontra sob investigação.


7. Devo fazer a análise para despiste da COVID-19?

Se estiver com febre, tosse ou dificuldade respiratória e tiver estado em contacto com uma pessoa infetada com COVID-19, ou tiver regressado recentemente de uma área afetada, deve ligar para o SNS24 (808 24 24 24). Após este contacto e validação da história clínica, os profissionais de saúde irão determinar se é necessário fazer a análise para covid-19 (orientações DGS).


8. Qual o tratamento?

O tratamento para a infeção por este novo coronavírus é dirigido aos sinais e sintomas que os doentes apresentam, não existindo de momento uma terapêutica específica. Nos casos leves ou no início da infeção, o coronavírus provoca sintomas parecidos com os da gripe — dores musculares e de cabeça, febre e secreção nasal. Nestes casos, são habitualmente administrados antipiréticos. Nalguns casos, têm vindo a ser testados vários fármacos (ou combinações): • Na cidade chinesa de Wuhan, testou-se uma combinação de fármacos antivirais usados no HIV (Ritonavir e Lopinavir). • No Centro Médico da Universidade de Nebraska, nos Estados Unidos, foi anunciado no fim de fevereiro que estavam a testar clinicamente a eficácia do antiviral Remdesivir, que foi usado no passado para tratar a SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e a MERS (Síndrome Respiratória do Médio Oriente), também provocada por um tipo de coronavírus e que teve um surto em 2012. • Outras Centros Clínicos estão a testar a Cloroquina, um medicamento também usado contra a malária e em doenças auto-imunes


9. A taxa de mortalidade do coronavirus é maior do que o vírus da gripe?

Segundo os últimos dados, a taxa estimada global de mortalidade do coronavírus  ronda os 3.4%, sendo que a taxa de mortalidade global da gripe sazonal é de 0.1%.


10. Afeta apenas pessoas doentes ou também pessoas saudáveis?

Este vírus afeta pessoas doentes, mas também pessoas saudáveis.


11. Quem corre maior risco de ser infetado?

Os grupos que apresentam maior risco de serem infetados são pessoas que estão em contacto direto com os doentes infetados com COVID-19 (profissionais de saúde); do ponto de vista da severidade, as pessoas com idade mais avançada e com doenças crónicas, também apresentam maior risco de serem infetadas.


12. Quanto tempo o vírus permanece ativo numa superfície?

Não está definido, ainda.


13. Este vírus pode ser mortal para pessoas saudáveis?

Sim, este vírus pode ser mortal para pessoas saudáveis.


14. O sistema nacional de saúde está preparado para lidar com este vírus?

De acordo com as indicações da Direção Geral de Saúde, sim, o Sistema Nacional está preparado para lidar com esta situação.


15. É transmissível de pessoas a animais domésticos e vice-versa?

De acordo com informação da Organização Mundial da Saúde (OMS), não há evidência de que os animais domésticos, tais como cães e gatos, tenham sido infetados e que, consequentemente, possam transmitir a COVID-19, até ao momento.


16. Casos assintomáticos também são contagiosos?

Sim.


17. E com a chegada do calor?

A chegada da primavera e do calor pode ser benéfica pois este vírus propaga-se mais facilmente em ambientes frios. O que se espera é que com o calor o número de casos diminua, mas é apenas uma expetativa porque o vírus está ainda em mutação.  


18. De que forma me posso proteger deste vírus?

Nas áreas afetadas a Organização Mundial de Saúde recomenda as seguintes medidas:

  • Evite contacto próximo com pessoas que aparentam sofrer de patologia respiratória infeciosa;
  • Lave frequentemente as mãos;
  • Evite contacto desprotegido com animais selvagens ou de quinta;
  • Tape o nariz e a boca quando espirrar ou tossir com um lenço de papel (deitando o lenço logo de seguida para o lixo) ou com o braço e nunca com as mãos. Lave as mãos sempre que se assoar, espirra ou tossir.

19. O que é o isolamento social? O isolamento social pressupõe:

Caso seja colocado numa situação de isolamento social deve permanecer em casa e evitar ao máximo ocontacto com outras pessoas e cumprir totalmente o tempo estipulado pelas autoridades de saúde.
  • ausência de contacto social ou familiar;
  • ausência de envolvimento na comunidade ou com o mundo exterior;
  • manter-se no domicílio, só saindo em situações de extrema necessidade.

Quanto mais resguardado estiver, mais protegido ficará e estará a dar mais proteção à sua família. Este é um problema de saúde pública e o nosso comportamento individual, afeta a todos, pelo que, mais que nunca, devemos estar focados na comunidade e não abandonar o isolamento.

MÁSCARAS

1. As máscaras são eficazes na proteção do vírus?

As máscaras não têm um especial efeito de proteção neste cenário e não está provado que seja uma medida eficaz. Pessoas saudáveis não devem usar mascaras. 


2. Quais as indicações para o uso de máscara?

As indicações para o uso de máscara em Portugal, são:

  1. Pessoas com sintomas de infeção respiratória (tosse ou espirro);
  2. Suspeitos de infeção por coronavírus;
  3. Pessoas que prestem cuidados a suspeitos de infeção por coronavírus.

CRIANÇAS


1. É verdade que as crianças não são afetadas pelo coronavírus?

Não. Mas a doença aparenta ser de menor gravidade, não tendo sido registados nenhum caso de mortalidade até aos 10 anos (até agora).


2. Que medidas devem as crianças adotar?

As crianças devem adotar as mesmas medidas vigilantes:

  • Tossir e espirrar para o cotovelo, impedindo a propagação;
  • Usar um lenço descartável;
  • Lavar as mãos durante 20 segundos (cantar os “parabéns a você” durante a lavagem é uma boa sugestão), ou em alternativa usar o gel desinfetante.

Aliás, estes cuidados devem ser adotados, de forma continua, ao longo da vida.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados