Miopia: o que é?

Miopia: o que é?

A miopia é um problema frequente que começa muitas vezes em idade escolar. Tanto nas crianças como nos adultos, a miopia não deixa ver bem ao longe, apesar de não afetar a visão ao perto.


miopia


A miopia é um vício de refração em que o doente vê mal ao longe e habitualmente vê bem ao perto. “A imagem que se forma no sistema ótico do olho vai fazer com que a imagem se foque à frente da retina e os médicos oftalmologistas têm de colocar lentes negativas para levar a imagem para a retina”, explica o Dr. Florindo Esperancinha, médico oftalmologista e presidente do colégio de oftalmologia da Ordem dos Médicos (OM).

A miopia aparece mais frequentemente na idade escolar e “relaciona-se com o desenvolvimento do comprimento do olho. Os olhos míopes são normalmente maiores do que deveriam ser. Um milímetro a mais daquilo que o olho deveria ter corresponde a 3 dioptrias”, explica o oftalmologista. A miopia pode dever-se a fatores genéticos, mas existem outros motivos que levam ao aparecimento de uma percentagem maior da doença.


Sinais de alarme

Nas crianças, o principal sinal é o facto de se aproximarem da televisão porque veem mal. E se ainda assim não conseguem ver a imagem, aproximam-se mais ficando praticamente coladas ao ecrã. Este é o principal sinal que justifica uma consulta no oftalmologista. Se a criança começar a sentir dificuldade em ver o que está escrito no quadro da escola ou nos sinais informativos na estrada enquanto os pais conduzem, não se deve descurar a procura de ajuda médica. “As crianças devem ir a uma primeira consulta de oftalmologia por volta dos três anos, embora possamos seguir crianças mais novas se tiverem alguma patologia. É frequente avaliarmos também as crianças prematuras”, avança Dr. Florindo Esperancinha.

Na idade escolar, a evolução tende a ser progressiva. Há crianças que estabilizam mais cedo e outras mais tarde. Após a ida ao oftalmologista e o início do tratamento adequado a cada caso, “se os pais verificarem que, mesmo com óculos, passado um ano a criança está a ver mal ao longe, é necessário fazer uma retificação das lentes”, explica o Dr. Florindo Esperancinha.


Soluções para a miopia

Existem várias alternativas para corrigir uma miopia. “Em primeiro lugar os óculos habituais e, posteriormente, as lentes de contacto”, salienta o Dr. Florindo Esperancinha. Mais recentemente, têm surgido novas formas de correção de miopia. “O LASIK (Laser-Assisted in Situ Keratomileusis) – cirurgia a laser – pode ser utilizado até às seis dioptrias, mas é preciso que o doente tenha uma espessura de córnea adequada.
Vamos fazer uma ablação da córnea com o laser consoante a miopia que queremos corrigir. Mas há um valor abaixo do qual não podemos deixar a espessura da córnea para não termos problemas complicados, porque se uma córnea ficar muito fina no final da cirurgia pode fazer como que um pequeno balão e desfocar completamente a imagem”, explica o médico oftalmologista. Há que ter sempre em atenção que se pode corrigir até determinado número de dioptrias em função da espessura da córnea que a pessoa tiver. “Se a miopia não puder ser corrigida com laser (através do LASIK – Laser-Assisted in Situ Keratomileusis), temos a colocação de lentes intraoculares para as miopias mais altas. Essas lentes poderão ser colocadas em frente à íris (lentes de câmara anterior), em cima do cristalino (lentes de câmara posterior) ou mesmo fazendo uma extração do cristalino (tirar o cristalino e substitui-lo por uma lente que é o que fazemos normalmente nas cataratas)”, acrescenta Florindo Esperancinha.

Em termos de acompanhamento da miopia, as complicações podem sempre surgir, quer seja corrigida cirurgicamente ou não. “Vemos descolamentos da retina todos os dias em doentes míopes devido ao facto da sua retina ser habitualmente mais frágil”, conclui o presidente do Colégio de Oftalmologia da Ordem dos Médicos.


Conselhos úteis sobre a miopia

  • Se os pais ou os professores se aperceberem que a criança está a ver mal, esta deve consultar um médico. Há sinais básicos: a criança esfrega os olhos; pede para se sentar nas primeiras carteiras da sala de aula; senta-se frente à televisão… Atenção que pode estar a aparecer uma miopia.
  • Só se deve operar uma miopia com laser quando a mesma está estabilizada, ou seja, depois de dois a três anos sem qualquer evolução, porque se for operada antes desse tempo poderá voltar a ter miopia. Nas cirurgias dos adultos há que ter a noção de que podem surgir complicações, ainda que sejam muito raras.
  • Se não gosta de usar óculos tem outras alternativas à disposição, dependendo do seu grau de miopia, mas deve ser sempre avaliado pelo seu médico oftalmologista.
  • Se a miopia já estiver estabilizada nos adultos, um a dois anos é o tempo aceitável para uma consulta no oftalmologista. Se houver alguma queixa ou a evolução da doença for mais rápida do que o suposto, pode marcar uma consulta antes do previsto para ajustamento médico.
  • Caso tenha miopia, lembre-se que deve consultar o médico periodicamente mesmo que não sinta alterações. Há patologias que se desenvolvem sem apresentarem sintomas.

É necessário que tenha atenção à visão. Se começar a ter a visão turva ou se começar a ver mal ao longe, não hesite e tome as medidas corretas, recorra a um médico especialista. Usar óculos, já não é nenhum problema de sete cabeças, existem óculos cada vez mais modernos e se não se habituar aos seus óculos, pode sempre optar por outros tratamentos, nomeadamente, as lentes de contacto.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados