Pele: cuidados no masculino

Pele: cuidados no masculino

Cirurgia Plástica e Estética
Última atualização: 09/08/2022
  • A pele dos homens difere da pele das mulheres, tendo necessidades próprias no seu cuidado diário.
  • O ato de barbear impõe um enorme stress sobre a pele, sendo essencial seguir alguns passos para minimizar o seu impacto.
  • A hidratação e o controlo do acne não requerem muito tempo, mas irão deixar a sua pele elástica e saudável.

A pele dos homens tem características próprias, mas tal como a pele das mulheres, merece ser cuidada e mimada. Conheça os cuidados essenciais para a manter saudável e jovem durante mais tempo.

O cuidado da pele deve ser um ritual diário não só para as mulheres, mas também para os homens. A testosterona – conhecida como a hormona masculina – estimula a produção de sebo pelas glândulas sebáceas. Estas glândulas estão, portanto, mais ativas nos homens do que nas mulheres, o que pode resultar numa pele mais oleosa. Assim, com a produção excessiva de sebo, poderá aumentar o risco de inflamação das glândulas, tornando a pele mais sujeita a problemas como o acne, as foliculites (inflamação dos folículos pilosos) e poros dilatados.

A pele masculina é também mais espessa, o que faz com que retenha mais água, sendo menos seca e, por isso, apresenta maior resistência às rugas, que surgem mais tarde do que nas mulheres – embora, quando surjam, sejam mais profundas, sobretudo no contorno dos olhos, testa, sulco entre nariz e boca e nuca. Está, no entanto, mais sujeita a um tipo específico e recorrente de stress: o ato de barbear. Esta ação realizada por muitos homens diariamente tem um elevado impacto na pele, destruindo a camada hidrolipídica, podendo também remover as camadas mais externas da mesma. Assim, a pele deixa de ter uma proteção natural e favorece a secura e as vermelhidões.

Limpeza do rosto

Dado o seu elevado teor de gordura e acumulação de células mortas – sobretudo entre os 30 e os 40 anos, quando a atividade das glândulas sebáceas é mais intensa –, a pele masculina deve ser limpa diariamente com um produto adequado às caraterísticas específicas do rosto. Se optar por um sabonete, escolha um com ingredientes que amoleçam a pele, como a glicerina, os óleos vegetais, incluindo de azeitona e de jojoba. Depois de fazer a barba, aplique uma loção ou tónico aftershave sem álcool, para fechar os poros.

Barbear

Seja por motivos profissionais, estéticos ou outras necessidades, barbear é uma causa de stress para a pele podendo causar irritação cutânea, pelos encravados, queimaduras ou mesmo cortes. Para minimizar este tipo de queixas,  a American Academy of Dermatology Association (AAD) recomenda que, antes de se barbear, humedeça bem a barba – faça-o no duche ou aplique uma toalha quente e húmida na face uns minutos antes; de seguida, aplique o creme ou gel de barbear (de preferência produtos hipoalergénicos sem fragrância); use uma lâmina bem afiada, para não ter de a passar várias vezes na mesma zona, e use-a na direção do crescimento do pelo; mantenha a pele lisa, mas não demasiado esticada, enquanto se barbeia; para finalizar, enxague bem a pele com muita água e, ao limpar, dê pequenas pancadinhas com a toalha, em vez de esfregar.

Se tiver acne, a AAD recomenda experimentar ou uma máquina de barbear elétrica ou lâminas descartáveis, para escolher a melhor forma para fazer a sua barba com o menor impacto possível sobre a mesma. O mais importante é ter uma lâmina bastante afiada e barbear suavemente sem tocar no acne, pois pode piorar a infeção.

Hidratação

É fundamental que a pele se mantenha saudável e apta a executar todas as suas funções de barreira protetora de forma plena. Isto é, a sua pele necessita água para reter força e elasticidade. Sendo o ato de barbear um fator de agressão à pele, a aplicação de um hidratante deve ser realizada diariamente, de forma a potenciar a recuperação da mesma. Tenha em conta que, à medida que envelhece, a pele torna-se mais seca e sensível, pelo que, nesta fase, este gesto é ainda mais importante – ajudando a prevenir problemas cutâneos comuns em idades mais avançadas, como os eczemas graves. Siga a recomendação da AAD e opte por um creme com proteção solar (no mínimo, FPS 30), a principal forma de reduzir o envelhecimento cutâneo e protegendo-o também contra o cancro de pele. Recorra a uma formulação adequada ao seu tipo de pele: um gel ou creme fluido se tem pele oleosa; um creme se tem pele normal. Também deve hidratar o corpo após o duche: a presença de pelos corporais faz com que a escolha preferencial seja uma textura fluida (leite ou emulsão). 

Controlar o acne

Se a sua pele tem tendência ao acne, irritação e aos pelos encravados, deverá optar por um hidratante com ácido glicólico ou salicílico e, para a limpeza quotidiana, por um esfoliante com ácido salicílico, glicólico ou peróxido de benzoíla. Assim, a limpeza será mais profunda e o pelo ficará mais exposto, facilitando o barbear e a absorção do hidratante. Procure, ainda, reduzir a frequência com que se barbeia e evite cortar os pelos muito rente à pele, assim irá diminuir a frequência de cortes. Se sentir necessidade de uma solução mais definitiva, fale com o seu médico especialista sobre a hipótese de usar métodos alternativos de redução de pelos nas zonas mais problemáticas. O tratamento do acne pode contemplar várias opções, desde fármacos específicos, tratamentos dermatológicos, aplicação tópica de outros produtos com ação anti-inflamatória ou de limpeza, e mesmo uma diminuição da exposição solar. Marque uma consulta com um especialista pois este é a pessoa indicada para lhe indicar os tratamentos mais adequados para este problema de pele no seu caso específico.

Dica

Para prevenir rugas profundas em redor dos olhos, comece desde cedo a aplicar um creme, gel ou bálsamo específico para essa zona.

Para responder às exigências da pele dos homens é preciso ter em conta alguns cuidados. Limpeza e hidratação são passos essenciais. Siga estes cuidados para a manter uma pele saudável e jovem durante mais tempo.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados