Rosácea, quando a vermelhidão ataca

Rosácea, quando a vermelhidão ataca

A rosácea, também conhecida por couperose, é uma inflamação da pele que se caracteriza por vermelhidão e derrames no rosto. É importante ficar a par dos cuidados necessários, bem como dos fatores que aumentam o risco de vir a ter este problema.


pele-bonita-em-qualquer-idade


A rosácea é uma inflamação da pele que atinge mais mulheres que homens, é mais frequente entre os 30 e os 50 anos e que se manifesta através de focos de vermelhidão que podem afetar várias zonas do rosto (testa, bochechas, nariz e queixo). A vermelhidão deve-se ao facto dos vasos capilares ficarem fechados à superfície da pele e as paredes capilares expandirem-se, o que leva a que fiquem muito visíveis e tornem a pele avermelhada.

A inflamação pode incluir várias fases, de acordo com a intensidade. Numa fase inicial, a pele fica rosada. Gradualmente, a pele torna-se avermelhada, causando comichão, picadas, sensação de calor e de pele repuxada. Numa fase mais avançada, podem surgir pústulas (borbulhas) com pus no interior. As manchas, que na fase inicial se concentram nas zonas referidas acima, podem chegar a atingir os olhos e, até, o pescoço, zona do decote, peito e costas.

Por ser muito visível, a rosácea é motivo de constrangimento e pode levar ao isolamento social. Por isso, é muito importante consultar um especialista (se possível, na fase inicial da doença), pois existem tratamentos que permitem atenuá-la, assim como cuidados diários que ajudam a controlá-la.


Fatores de risco

Embora a causa da rosácea seja desconhecida, julgando-se que podem existir vários responsáveis como a hereditariedade, problemas respiratórios ou tabagismo, sabe-se que existem alguns fatores que tornam algumas pessoas mais suscetíveis de vir a sofrer deste problema:

  • Ter entre 30 e 50 anos.
  • Ter pele clara, que é mais frágil e com menos mecanismos de defesa do que uma pele morena.
  • Ter anomalias vasculares que resultam num aumento dos vasos sanguíneos.
  • Exposição a ambientes quentes.
  • Exposição a ambientes frios e/ou com vento.
  • Mudanças bruscas de temperatura.
  • Consumo de bebidas muito quentes ou muito frias.
  • Consumo de bebidas alcoólicas.
  • Ingestão de refeições muito condimentadas.
  • Alterações emocionais.
  • Toma de fármacos vasodilatadores (usados para normalizar os valores da tensão arterial).

Cuidados a ter no dia a dia

Quem sofre de rosácea deve ter cuidados redobrados ao nível da higiene do rosto e do estilo de vida:

  • Utilizar sempre cosméticos adequados para pele com rosácea e que contenham vitamina B (que defende a pele de irritações externas) e vitamina C (que fortalece as paredes dos vasos capilares).
  • Não sair de casa sem aplicar protetor solar, mesmo durante o inverno.
  • Fazer uma alimentação equilibrada, rica em nutrientes.
  • Evitar bebidas alcoólicas e com cafeína.
  • Evitar a ingestão de comida muito condimentada.
  • Não fumar.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados