Voz: cuide dela todos os dias

Voz: cuide dela todos os dias

Quotidiano
Última atualização: 09/08/2022
  • Cuidar da nossa voz implica estarmos atentos a ela e saber reconhecer sinais de alarme, que nos devem fazer procurar um especialista.
  • As causas mais comuns de problemas de voz são as doenças respiratórias e o esforço excessivo.
  • Para evitar prejudicar a voz, é essencial manter alguns cuidados que incidem principalmente num estilo de vida saudável

Damos-lhe dez conselhos para que a sua voz permaneça saudável, explicamos-lhe as causas mais comuns para os problemas relacionados com a voz, e apresentamos os sinais de alarme que o devem levar a procurar ajuda especializada.

Nem nos damos conta o quanto a usamos. Há pessoas que fazem dela profissão: falamos de cantores, atores, apresentadores de televisão, locutores de rádio, jornalistas, professores, entre outros. Mas, mesmo se pensarmos no nosso dia a dia, a voz é um elemento omnipresente e imprescindível para comunicarmos com os outros.

Aquilo a que chamamos “voz” pode ser definido como o som produzido pela laringe, em conjunto com a boca, através do ar proveniente dos pulmões. São as cordas vocais, as pregas membranosas existentes na laringe, que produzem os sons que constituem a linguagem. Existem duas cordas vocais de cada lado da laringe: uma corda vocal superior e uma corda vocal inferior.

Profissionais que dependem enormemente da voz para desempenhar as suas funções estão em maior risco de desenvolver problemas relacionados com a mesma. É importante estar atento a quaisquer sintomas que possam indicar a necessidade de acompanhamento médico.

Problemas de voz: os sinais de alarme
Tal como acontece em relação aos outros sinais que o corpo nos dá, devemos estar atentos a alterações na voz e consultar um médico otorrinolaringologista na presença de sintomas como:

  • Afonia (perda da força e da clareza da voz).
  • Pigarrear frequentemente.
  • Rouquidão que se prolonga por mais de duas semanas.
  • Dores e/ou irritação na garganta durante um período superior a dez dias.
  • Dificuldade em engolir.

Mesmo que não faça da sua voz profissão, a verdade é que a maioria das pessoas usa a voz no seu dia a dia e depende enormemente dela. Basta ficar com dificuldade e/ou dor ao falar, por estar constipado ou ter ido a um concerto, para reconhecer esta dependência que tanto nos caracteriza como seres humanos.

Causas comuns de problemas de voz

Existem vários fatores de risco/causas para ocorrerem alterações na voz. Algumas são de fácil resolução, outras podem implicar terapêuticas específicas e, por isso, é muito importante não desvalorizar os sinais de alarme. Entre as causas mais comuns que podem originar alterações na voz destacam-se:

  • Gripe.
  • Alergias.
  • Tosse.
  • Azia/refluxo gastroesofágico.
  • Infeções respiratórias.
  • Fumar.
  • Esforçar a voz (seja por falar/cantar durante um período de tempo prolongado ou por adotar um timbre que não é o seu timbre natural). 

Além de evitar gripes e doenças respiratórias pelo impacto que podem ter na nossa voz, é muito importante descansar adequadamente – o cansaço físico por si só pode ter um efeito negativo na voz.

Sabe cuidar da sua voz? 10 conselhos
Para evitar problemas de voz, deve seguir alguns cuidados no dia a dia, evitando também hábitos que podem ser prejudiciais.

  1. Hidrate-se.Beber água ao longo do dia é essencial para o bom funcionamento de todo o organismo, além de hidratar as cordas vocais. Recomenda-se o consumo de cerca de 1,5L a 2L de água, o que corresponde a sete/oito copos diários. Uma excelente opção, especialmente para quem não gosta muito de água, são os chás e as infusões. Mas atenção, pois não devem estar excessivamente quentes nem demasiado frios.
  2. Fale de forma pausada.Tenha o cuidado de respirar de forma adequada enquanto fala, de modo a não ficar sem fôlego. Nos dias em que tem de recorrer mais à sua voz, também é importante fazer pausas frequentes.
  3. Não fume.O tabagismo, além de ser extremamente nocivo para a saúde em geral, irrita as cordas vocais, pode provocar o aparecimento de pólipos e está associado ao desenvolvimento de cancro da laringe e dos pulmões, entre outros tipos de cancro. O tabagismo passivo também tem riscos para a saúde e deve ser evitado.
  4. Não consuma em excesso bebidas alcoólicas e/ou com cafeína.De acordo com o National Institute on Deafness and Other Communications Disorders (NIDCD), este tipo de bebidas faz com que o corpo perca água e faz com que as cordas vocais e a laringe fiquem desidratadas. Além disso, tanto o álcool como a cafeína irritam as membranas mucosas que revestem a garganta.
  5. Evite automedicar-se. A toma de determinados medicamentos, incluindo alguns fármacos comuns para o tratamento de constipações e alergias, pode secar as pregas vocais e levar a que desenvolva problemas na voz com maior facilidade. Aconselhe-se previamente com o seu médico.
  6. Tenha um estilo de vida saudável.Faça uma alimentação equilibrada, variada e sem jejuns prolongados (mais de três horas sem comer). Frutas, vegetais e cereais integrais ricos em vitamina A, E e C mantêm saudável a membrana mucosa da garganta. Evite alimentos picantes e determinadas especiarias, pois podem provocar azia/refluxo gastroesofágico, alerta o NIDCD. Não se esqueça também de que os alimentos não devem ser ingeridos muito quentes.
  7. Pratique exercício físico.O exercício aumenta a resistência e o tónus muscular, o que ajuda a manter uma boa postura e uma respiração adequada, dois aliados no uso correto da voz.
  8. Selecione com cuidado o elixir bucal que usa.Opte por produtos que não contenham álcool e/ou outras substâncias químicas irritantes. Se a razão para usar o elixir bucal se relacionar com o mau hálito, consulte um médico dentista.
  9. Mantenha níveis adequados de humidade na sua casa.Dependendo da altura do ano, use um desumidificador ou humidificador para manter a humidade por volta dos 30%.
  10. Faça exercícios de aquecimento/arrefecimento de voz.Este conselho destina-se a especialmente a quem usa a voz por períodos muito prolongados, como cantores, atores, oradores, entre outros. Neste caso, o conceito é idêntico àquele que é aplicado ao exercício físico: fazer aquecimento antes de se exercitar e alongamentos depois. Se vai usar a voz durante um período de tempo prolongado, não se esqueça de fazer exercícios de aquecimento vocal. Quando terminar, deverá realizar exercícios de arrefecimento vocal. Aconselhe-se com o seu médico sobre os tipos de exercícios mais adequados.

Diferentes pessoas têm diferentes resistências no que toca a um uso mais intensivo da voz. Estas diferenças devem-se não só à genética mas ao estilo de vida de cada um, que pode incorporar mais ou menos hábitos listados acima. Usar a voz de forma responsável requer moderação, descanso e essencialmente, reconhecer os nossos limites.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados