Hemorroidas, o que deve saber

Hemorroidas, o que deve saber

É um tema tabu, mas muito frequente, pelo que não deve sentir-se constrangido/a em consultar o médico. Iniciar o tratamento o quanto antes permite combatê-lo de forma mais eficaz.


hemorroidas-o-que-deve-saber


Pouco falada mas extremamente presente, a doença hemorroidária figura como a doença do ânus e do reto mais comum na sociedade ocidental. Segundo dados do Serviço Nacional de Saúde norte-americano, esta patologia afeta mais de 10 milhões de pessoas, sendo diagnosticados 1 milhão de casos por ano nos Estados Unidos. Apesar da prevalência, a doença hemorroidária é ainda um tema pouco abordado e muito constrangedor para a maioria da população. Permanecer em silêncio e sem procurar ajuda é um erro comum a evitar, já que apenas agrava os sintomas, o mal-estar associado e pode até dificultar o tratamento. Saiba como agir.


O que é?

Vulgarmente designada por hemorroidas, esta doença caracteriza-se pela dilatação e inflamação das estruturas vasculares situadas no interior do reto e do ânus, cuja função é proteger os músculos e garantir a passagem das fezes. De facto, o termo médico hemorroida denomina este conjunto de vasos sanguíneos e não a patologia.


Tipos de hemorroidas 

A patologia pode ser dividida em 2 categorias distintas: interna e externa. No primeiro caso a doença é muitas vezes assintomática, detetando-se apenas a presença de sangue nas fezes após a evacuação. Ocorre na zona do reto e pode originar prolapso através do ânus. O segundo tipo – externo – manifesta-se na zona do ânus, originando um inchaço sob a pele, que pode provocar prurido, dor, por vezes súbita, e levar ao aparecimento de coágulo. Para além dos sintomas referidos – inflamação, inchaço ou irritação na zona anal, presença de sangue vivo nas fezes (ou visível no papel higiénico) – esta doença pode provocar dor no momento de evacuar ou ao sentar e causar, até, perda de fezes.


O que fazer?

Em primeiro lugar, aconselhar-se com um especialista é essencial. Através da observação física e de exames de imagiologia, o médico poderá avaliar o problema e despistar outras patologias. Para aliviar os sintomas, o médico poderá aconselhar a aplicação de pomadas tópicas.

No entanto, logo após o aparecimento dos primeiros sintomas existem alguns cuidados, ao nível do estilo de vida, que permitem minimizar o mal-estar:

  • Aumentar o aporte de água e de alimentos ricos em fibra (como a fruta ou a hortaliça), já que favorecem o trânsito intestinal.
  • Para reduzir a irritação na zona anal, limpá-la com água, em vez de usar papel higiénico, secando-a depois cuidadosamente.
  • Ir frequentemente à casa de banho, o que ajuda a regular o funcionamento dos intestinos.
  • No caso de existir inchaço, deverá recorrer a uma almofada específica (ou pequena boia) para reduzir o desconforto ao sentar-se.

Tratamentos não farmacológicos

Adotar um estilo de vida saudável, seguir as indicações do médico e os cuidados acima descritos permitem fazer face a situações pontuais. A maioria das situações é resolvida através da administração de fármacos, contudo, quando o prolapso ou coágulo não respondem aos tratamentos, pode recorrer-se a outras técnicas como a fotocoagulação, escleroterapia, laqueação ou cirurgia.

As hemorroidas são uma patologia muito comum. Consultar um especialista e adotar uma alimentação e hábitos de vida saudáveis permitem prevenir e minimizar o problema.

Este artigo foi útil?

Conselho cientifico

Conteúdo revisto

pelo Conselho Científico da AdvanceCare.

A presente informação não vincula a AdvanceCare a nenhum caso concreto e não dispensa a leitura dos contratos de seguros/planos de saúde nem a consulta de um médico e/ou especialista.

Downloads

Consulte os nossos guias para hábitos saudáveis:

Sympton Checker

Utilize a nossa ferramenta de diagnóstico de sintomas.

Programas AdvanceCare relacionados

Artigos relacionados